Foto: Reprodução/ Internet
Covid-19

As suspeitas de reinfecção do novo coronavírus ampliam os desafios de compreender o vírus, que vem provocando a morte de milhares de pessoas pelo mundo inteiro. Em todo país, tem vários relatos de reinfecção da doença que estão sendo estudados e analisados em laboratório. 

Segundo a infectologista Vânia Simões, em Alagoas existem relatos de reinfecção, mas segundo ela não existe confirmação laboratorial. A especialista alerta para o cumprimento das medidas sanitárias para evitar que pessoas possam ter contato com o o novo SARS-CoV-2 modificado. 

A médica lembra que é difícil fazer o diagnóstico preciso de reinfecção do vírus no Brasil, já que essa análise dever ser feito por meio da biologia molecular. 

No fim de agosto, quando a covid-19 já havia atingido 25 milhões de pessoas pelo mundo, cientistas de Hong Kong anunciaram o primeiro caso documentado de reinfecção pelo novo coronavírus. No estudo publicado no periódico Clinical Infectious Diseases, cientistas detalharam a história de um homem de 33 anos que testou positivo em 15 de agosto para covid-19 quatro meses e meio depois de ter sido diagnosticado pela primeira vez. 

A reinfecção só foi comprovada porque os vírus coletados no segundo exame positivo foram comparados geneticamente com os primeiros que o paciente contraiu em abril —e eram diferentes. Essa observação eliminou a suspeita de que o novo resultado positivo fosse causado por vírus que poderiam estar inativos no corpo do paciente após a primeira infecção.

*Com informações de agências.