Assessoria

O candidato a prefeito de Maceió Alfredo Gaspar (MDB) participou, nessa quarta (25), de encontro com representantes do setor cultural da capital, quando subscreveu o Pacto pela Cultura, contendo uma série de reivindicações da categoria, entre elas o apoio à criação da Lei dos 50% pela Câmara Municipal, com o compromisso de contratar 50% do valor das atrações em shows e eventos nacionais, com artistas locais nos eventos da prefeitura.

O encontro contou com a presença de artista locais da música, do teatro, da cultura popular. Entre outros pontos pactuados estão: ampliar as políticas de editais democratizando o acesso aos recursos; criar programas e ações da economia criativa, a exemplo da moda, do audiovisual, do artesanato, da música, do teatro, do folclore, da gastronomia e demais manifestações artísticas e culturais.

Alfredo Gaspar assinalou boa parte das demandas pactuadas já estão contidas no Plano de Governo Maceió 2021-2024, como o fortalecimento dos editais públicos. O plano também prevê a implantação de políticas culturais alternativas, a criação da Casa do Artista, a implantação da biblioteca pública municipal, a criação de novos roteiros culturais alinhados com o turismo.

“A cultura de Maceió será para nós um instrumento de transformação social, e quero ser um prefeito parceiro dessa classe tão importante. É muito bom estar junto de gente talentosa como vocês. Quero abrir as portas da prefeitura para dar oportunidade a todo esse universo cultural. Vou incentivar, por meio de editais, programas e ações, e da economia criativa”, assinalou Alfredo Gaspar.

Na reunião estiveram presentes importantes líderes da cena cultural de Maceió, como os músicos Jurandi Bozo, Cláudio Rios, e produtores culturais como Cadu Ávila, Marcos Assunção, Paulo Poeta, João Lemos, Zé do Boi, entre outros artistas, como o coletivo de sanfoneiros da cidade, que animou o encontro.

“A Cultura se tornou um tema de primeira importância para todo o mundo. Nunca se falou tanto em Cultura, e, durante a pandemia, as artes foram apreciadas dentro de nossas casas, devido ao isolamento social. Assim, a música, os livros, os poemas, os filmes e toda cultura em forma de arte passou a ser expressão dos sentimentos da sociedade. A valorização e apoio à classe artística tomaram corpo e retorna com força ao centro do debate”, diz um trecho do documento Pacto com a Cultura.