Mãe de menina estuprada e morta no Sertão alagoano se torna ré por abandono de incapaz

Mara Santos*|
Ana Beatriz foi encontrada morta dentro de um saco de nylon, no telhado da casa do suspeito do crime.
Ana Beatriz foi encontrada morta dentro de um saco de nylon, no telhado da casa do suspeito do crime. / Foto: Reprodução

A mãe da menina estuprada e morta em agosto deste ano, Ana Beatriz Rodrigues Rocha, 6 anos, no município de Maravilha, Sertão alagoano, se tornou ré pelo crime de abandono de incapaz. A denúncia contra Ana Lúcia da Silva foi ajuizada pelo Ministério Público de Alagoas (MP/AL) e recebida pelo juiz Leandro de Castro Folly.

De acordo com a decisão do magistrado, os pressupostos de admissibilidade encontram-se “devidamente delineados”. Ainda segundo a decisão, o suspeito foi classificado nos depoimentos de testemunhas como uma pessoa que já apresentava uma conduta delitiva e que a mãe, tinha conhecimento e não tomou medidas preventivas necessárias.

"Uma vez que narrada toda a conduta delitiva, com todas as suas circunstâncias, qualificado o suposto autor do fato, classificado o crime e apresentado rol de testemunhas, a configurar a justa causa necessária para o recebimento da denúncia oferecida. Por fim, não vislumbro qualquer motivo para o não recebimento da inicial acusatória", diz um trecho da decisão.

O promotor de Justiça de Maravilha, Kleytionne Sousa, relatou que, de acordo com os fatos apurados, no dia do crime, a mãe estava com a menina em uma reunião com amigos na madrugada, por volta das 3h. O acusado já é conhecido na região pela prática de crimes envolvendo violência sexual. Para o promotor, a mãe deveria ter ficado atenta e não ter deixado a criança sozinha, nem a perdido de vista.

Uma instrução processual será iniciada. O juiz vai decidir, no final de todo o processo, se acata os argumentos do MPE/AL e condena a mãe da menina, ou se a inocenta. Ela tem até 10 dias para recorrer da sentença.

O caso

A morte de Ana Beatriz chocou e revoltou moradores de Maravilha. A menina desapareceu no dia 5 de agosto e foi encontrada morta no dia seguinte (6), dentro de um saco de nylon, no telhado da casa do suspeito.

O homem acusado de praticar o crime era conhecido da família e da vizinhança e, segundo testemunhas, costumava dar dinheiro a menina para que ela comprasse doces e balas.

No dia em que o corpo de Ana Beatriz foi encontrado, populares jogaram pedras na casa do suspeito e ameaçaram linchá-lo. A polícia, foi acionada pela família da menina que desconfiou do envolvimento do homem, que morava na vizinhança, no desaparecimento da pequena.

O acusado foi preso em flagrante e autuado por sequestro, homicídio e cárcere privado. Em depoimento, ele afirmou não lembrar do que aconteceu, pois estava sob efeito de droga e álcool.

 

*Sob supervisão da editoria

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Todos os direitos reservados