ALE/AL
Antônio Albuquerque

O deputado estadual Antônio Albuquerque (PTB) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa de Alagoas, na manhã desta terça-feira (20), para dizer que está sendo novamente vítima de perseguição. O parlamentar disse que ficou sabendo “de uma nova trama que se monta contra ele no Ministério Público, no Poder Judiciário e nos segmentos da força pública” para incriminá-lo pela morte dos suspeitos de atentado contra o filho do parlamentar, Nivaldo Albuquerque. 

Indignado, Antônio Albuquerque relembrou quando foi preso por um crime que não cometeu por causa da perseguição que havia contra ele. “Quatro anos depois, o TJ sequer recebera a denúncia feita contra mim por causa das denúncias infundadas”, comentou.

Entretanto, o parlamentar reforçou que soube de uma nova trama contra ele atualmente e que não vai se calar.“Mais uma canalhice contra minha pessoa”, disse.

De acordo com Albuquerque, circulam informações de que ele teria mandado matar ou matado os bandidos que atentaram contra o filho dele, Nivaldo Albuquerque. “Não matei, infelizmente. Se tivesse oportunidade de matar, faria sem nenhum constrangimento”, enfatizou.

O parlamentar disse que vai procurar o chefe do Ministério Público e do Tribunal de Justiça para informar “que não vai receber de forma cidadã se houver algum tipo de decisão contra ele. E acrescentou que a reação dele, dessa vez, será diferente da outra que ele foi preso.

“Estou antecipando os fatos para dizer que vou reagir materialmente e vou enfrentá-los pessoalmente. Muito mais voraz e violenta será minha reação”, comunicou.

Por fim, o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Marcelo Victor comentou o discurso de Albuquerque e disse “que não vai permitir que ele sofra nenhum atentado oficial ou oficioso”. “O senhor é vítima e não agressor”.