Sá Alagoas
Fernandes Lima

Com a intenção de promover reflexões coletivas e individuais, a sociedade ainda apresenta resistência em aceitar a proposta do dia Mundial Sem Carro, que tem como missão, incentivar que a população possa adotar outras alternativas para o deslocamento diário.

Ao CadaMinuto o chefe de segurança do trânsito do Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran), Renan Silva, explicou que apesar da cidade de Maceió enfrentar serias dificuldades em relação ao seu sistema de mobilidade urbana, não é necessário realizar  obras de maneira direta e sim, buscar redistribuir melhor o espaço público.

“Obras são importantes, mas elas não são o principal elemento para solução, o principal elemento é a melhor redistribuição do espaço público”, disse Renan.

Ainda conforme a avaliação do especialista, a capital não possui uma infraestrutura adequada para que ciclistas possam se locomover com qualidade. “Não temos uma infraestrutura adequada, calçadas são ruins e a nossa infraestrutura ciclo viária é péssima”.

Por fim, Renan complementou que é preciso de mudanças e que a cobrança deve partir de toda a sociedade, seja os que fazem uso do transporte público, do veículo individual e até mesmo daqueles que se locomovem de bicicletas.

“Há uma falsa percepção de que só é beneficiado aqueles que utilizam aquele determinado meio de locomoção, mas não é bem assim, quando a mobilidade ganha, a sociedade ganha como um todo”, afirmou o especialista.

Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito

Através de nota, a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), disse que em média, 280 mil passageiros são transportados diariamente no transporte público de Maceió e salientou que nos últimos anos, tem realizado diversos investimentos para melhorar a mobilidade urbana em Maceió.  

“Como, por exemplo, renovando a frota dos ônibus do Sistema Integrado de Mobilidade de Maceió (SIMM), criando corredores exclusivos para a circulação dos coletivos, a chamada Faixa Azul, descentralizando e ampliando para várias localidades os pontos de recarga e de confecção do Cartão Bem Legal com o objetivo de facilitar o acesso ao transporte público da cidade, e reforçando as fiscalizações para garantir a segurança dos passageiros”, conclui a nota. 

*Sob supervisão da editoria