Foto: Reprodução

O prazo para a realização de convenções partidárias, para a escolha de candidatos a prefeito e vice-prefeito, termina nesta quarta-feira (16) em Maceió. Sete postulantes já confirmaram participação e estão marcadas para a tarde de hoje as convenções dos partidos Unidade Popular (UP) e Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Os nomes confirmados para a disputa pelo cargo de prefeito, até agora, são: Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB), Corintho Campelo (PMN), Valéria Correia (Psol), Josan Leite (Patriota), Ricardo Barbosa (PT), Davi Davino Filho (PP) e Cícero Filho (PC do B). Ainda nesta tarde, oficializam-se as candidaturas de Lenilda Luna (UP), através de plataforma online, e de JHC (PSB), cuja convenção acontecerá no Colégio Rosalvo Ribeiro, no Jacintinho.

O primeiro e o segundo turno das eleições serão realizados, respectivamente, nos dias 15 e 29 de novembro. Devido a pandemia do novo coronavírus, pela primeira vez na história surgiu a opção de realizar as convenções de forma virtual. Nessas reuniões, os partidos decidem se vão participar da eleição majoritária (prefeitos e vice-prefeitos), proporcional (vereadores), ou ambas, e também sorteiam os números que os candidatos irão concorrer.

 

Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB)

Ex-procurador-geral de Justiça do Estado, Gaspar iniciou sua carreira no Ministério Público em 1996, na promotoria de Justiça de Maravilha. Atuou como promotor em Palmeira dos Índios. Compôs o Conselho Estadual de Segurança Pública (Conseg) e o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos. Comandou a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP/AL) e coordenou, por duas vezes, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPAL.

Em março deste ano, Gaspar entregou o cargo de procurador-geral de Justiça, mas não admitiu publicamente o motivo da saída. Recém filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), seu nome é um dos mais cotados pelo eleitorado, segundo pesquisas, para assumir a Prefeitura de Maceió.

 

Corintho Campelo (PMN)

Ex-prefeito de Maceió, entre 1982 e 1983, Corintho Campelo também é mais um candidato que deseja retornar à chefia do Executivo da capital.

Engenheiro e com 36 anos de militância pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), Campelo anunciou recentemente sua desfiliação, após uma disputada dentro do partido com o presidente da legenda, em Alagoas, Ronaldo Lessa, quanto ao nome para a disputa eleitoral.

Em abril, Campelo anunciou sua pré-candidatura à Prefeitura de Maceió pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN).

 

Valéria Correia (Psol)

Valéria Correia disputará o pleito pelo Partido Socialismo e Liberdade (Psol). É professora da Faculdade de Serviço Social (FSSO) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), tendo sido reitora entre os anos 2016 e 2020.  Atuou como diretora da FSSO e como coordenadora do Grupo de Pesquisa e Extensão Políticas Públicas, Controle Social e Movimentos Sociais. É professora, também, do programa de pós-graduação em serviço social da universidade.

Ela assume o posto do professor Basile Christopoulos após sua desistência de lançar a candidatura, sem revelar maiores detalhes sobre a decisão.

 

Josan Leite (Patriota)

Josan Leite Pereira Barros é o candidato do Patriota para disputar a Prefeitura de Maceió. Natural de Recife, ele é engenheiro com especialização em Administração de Empresas. Foi líder estudantil, líder do movimento jovem empreendedor e de combate à corrupção. Foi diretor do Clube de Engenharia, Conselheiro do CREA e é perito de engenharia.

Em 2016, Josan concorreu a uma vaga na Câmara de Vereadores de Maceió, pelo Partido Social Liberal (PSL), mas não foi eleito e ficou como suplente.  Já em 2018, ele disputou o cargo de governador de Alagoas, pelo mesmo partido, obteve 43, 208 votos (11,06% dos válidos), foi o segundo candidato mais votado, atrás apenas de Renan Filho, que venceu e foi reeleito com 1.001.053 votos.

 

Ricardo Barbosa (PT)

O Partido dos Trabalhadores (PT) escolheu o ex-vereador por Maceió, Ricardo Barbosa para a eleição à Prefeitura da capital. Ele também é o atual presidente da legenda em Alagoas.

Barbosa é advogado e exerceu o mandato de vereador, quando foi eleito em 2008, pelo PSOL, com apenas 453 votos, devido a conta do quociente eleitoral. Em 2010, disputou uma vaga como deputado estadual, teve 1.874 votos e não conseguiu se eleger.

A escolha de Barbosa como candidato do partido para disputar a Prefeitura de Maceió gerou insatisfação entre integrantes da legenda, que criticaram na época os critérios da eleição interna do PT, na qual Ricardo venceu a economista Luciana Caetano.

 

Davi Davino Filho (PP)

O então deputado estadual Davi Davino Filho, foi eleito em 2014, aos 27 anos, como o mais jovem parlamentar da região. Em 2018, foi eleito para um segundo mandato, com 39.342 votos. Davi é filho do vereador Davi Davino.

Criador da Frente Parlamentar da Juventude, Davino Filho também tem o nome apontado em pesquisas, entre os que possuem mais intenção de votos para a Prefeitura de Maceió. Sua pré-candidatura pelo Partido Progressista (PP) tem o apoio de partidos da base aliada do presidente Bolsonaro, como o Partido Social Liberal (PSL).

 

Cícero Filho (PC do B)

Oficial de Justiça, músico, jornalista e apresentador de um programa de TV, Cícero Filho é formado em Direito, com especialização em Ciências Criminais.  É presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça de Alagoas (Sindojus/AL) e diretor da Federação Nacional dos Oficiais de Justiça (FojebraA).

Cícero Filho teve o nome escolhido pelos comunistas- Partido Comunista do Brasil (PCdoB) - para disputar a Prefeitura de Maceió, em conferência realizada em novembro de 2019.

 

Lenilda Luna (UP)

Lenilda Luna é jornalista, servidora pública e disputará o pleito pelo partido Unidade Popular (UP), cujo direito para lançar candidaturas foi reconhecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em dezembro de 2019.

Lenilda tem mais de 30 anos de militância em defesa dos direitos trabalhistas. Pernambucana, nascida em Cabo, ela é filha de alagoanos, formada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Santa Cruz, na Bahia, e em Jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Trabalhou em rádios, TVs no estado e atualmente, atua na Assessoria de Comunicação da Ufal, no Movimento de Mulheres Olga Benario, no Movimento Luta de Classes, na base do Sindicatos dos Trabalhadores da Ufal, com o Coletivo Resistir e Lutar, além de ser da direção do partido em Alagoas e do diretório nacional.

Lenilda Luna foi considerada pelo partido a melhor indicada para unificar o campo da esquerda na disputa eleitoral em Maceió.

 

JHC (PSB)

Em seu segundo mandato como deputado federal, João Henrique Caldas foi eleito pela primeira vez, em 2014, e para o segundo mandato em 2018. Em ambos os pleitos, foi o deputado mais votado no estado com 135.929 e 178.645 votos respectivamente. Na eleição de 2018, também foi o deputado federal mais votado do país, em termos proporcionais e foi terceiro secretário da Câmara.

Advogado, natural de Maceió, JHC é filho do ex-deputado João Caldas da Silva, que também disputou a prefeitura de Maceió, em 2000, mas não passou para o segundo turno. Na ocasião, Katia Born venceu a eleição.

Nas eleições de 2016, JHC disputou a Prefeitura de Maceió e ficou em terceiro lugar como candidato pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), 21,78% dos votos válidos (menos de 3% de diferença para o segundo colocado, Cícero Almeida na disputa contra Rui Palmeira, que venceu a eleição com mais de 46% dos votos válidos.

Desta vez, pelo mesmo partido JHC também tem nome citado entre os que possuem maior intenção de votos para a Prefeitura de Maceió.

 

*Estagiário, sob supervisão da editoria