Foto; Reprodução
Devido a superlotação, detentos do presídio Cyridião Durval passam mal

(Atualizada às 12h47)

Devido à superlotação no Presídio Masculino Cyridião Durval e Silva, alguns reeducandos que estavam “empilhados” nas celas da unidade prisional, passaram mal no plantão do último sábado (12). 

De acordo com o vídeo, que circula nas redes sociais, pelo menos cinco detentos estão deitados no chão e enfrentam dificuldades respiratórias e segundo o narrador do vídeo, o problema é ocasionado pela superlotação das celas. 

Ao CadaMinuto, o representante do Sindicato dos Policiais Penais de Alagoas (Sindapen), Petrônio Lima, disse que é comum detentos enfrentarem crises de insuficiência respiratória, devido à superlotação, mas que esse fato foi uma “surpresa”. 

“É comum vê um ou dois presos na unidade de atendimento, com sintomas de insuficiência respiratória, mas não é comum vê tantos, como foi possível ver no vídeo”, disse Petrônio. 

Ainda segundo o representante do Sindapen, a situação no sistema prisional é grave e oferta riscos a todos que estão lá dentro, sejam funcionários ou detentos. 

“Todo o sistema prisional do nosso estado está lotado, é preocupante. A superlotação traz inúmeros problemas, dentre eles a questão sanitária, pois se o sistema está cheio, a rede de esgoto estoura e causa todo um problema de saúde para quem vive lá dentro”, denunciou. 

O que diz a Seris 

Através de nota encaminhada à reportagem, a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) esclareceu que os cinco reeducandos que se encontravam reclusos no Presídio Masculino Cyridião Durval e Silva e que apresentaram mal-estar no último sábado (12) foram prontamente atendidos por equipe da Gerência de Saúde da Seris, sendo transferidos, por precaução, ao hospital de campanha do sistema prisional alagoano. 

Ainda segundo a Seris, eles já não apresentavam nenhuma queixa no mesmo dia do atendimento. Contudo, todos seguem sob observação e irão passar por uma nova avaliação médica nesta segunda-feira (14). 

Por fim, a pasta gestora pontuou que um processo administrativo será aberto para se apurar as circunstâncias do episódio.

OAB vai apurar o caso 

Após o vídeo onde presos passam mal no chão do sistema prisional, com sintomas de uma possível insuficiência respiratória, aguardando atendimento médico, circular nas redes sociais, o Secretário Geral da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB/AL), Leonardo de Moraes, disse à reportagem que a instituição irá adotar todas as providências que se pode imaginar e que junto com outros órgãos fiscalizadores, irão nos próximos dias, realizar uma inspeção nos presídios para que possamos constatar o que foi relatado. 

“É desumano, mas a OAB junto com os demais órgão, irá adotar todas as medidas possíveis para que possamos apurar tudo o que foi relatado no vídeo. O caso não é comum e precisamos entender por qual motivo esse episódio ocorreu”, disse Leonardo.

Defensoria Pública cobra explicações de gestores 

Na manhã desta segunda-feira (14), o defensor público e coordenador do Núcleo de Acompanhamento da Execução Penal e Prisões Provisórias da Defensoria Pública, Ricardo Anízio Ferreira de Sá, oficiou os responsáveis pela gestão penal no Complexo Penitenciário de Maceió e do Presídio Masculino Cyridião Durval, requerendo informações sobre os presos que aparecem passando mal dentro da unidade.

A Instituição cobra informações sobre as identidades e saúde dos reeducandos, se foi realizado o teste do Covid-19 e sobre a prestação de assistência médica, que é direito fundamental de todas as pessoas privadas de liberdade.

*Sob supervisão da editoria