O início do processo seletivo para o Programa Aprendiz Operacional da Mineração Vale Verde (MVV) começou em setembro último. Os candidatos passaram todo o mês realizando diversas etapas até serem selecionados: prova objetiva, avaliação psicológica, dinâmica de grupo e exames médicos.

 

E nesta sexta-feira (4), conforme o regulamento, a MVV divulgou no www.vale-verde.com o resultado final das pessoas aptas a se tornarem “Operador de Planta”.

 

Os nomes dos 50 selecionados de Arapiraca e Craíbas – as duas cidades onde o Projeto Serrote está situado – podem ser vistos no site oficial da empresa.

 

Finalizando esta última etapa, o setor de Recursos Humanos (RH) da mineradora entrará em contato com cada um deles para a orientação sobre o processo admissional, informando data, horário, local e lista de documentos a serem entregues.

 

“A MVV adota como premissa aproveitar o máximo de moradores locais. Esse é um valor para a nossa empresa! Tivemos esse olhar quando fizemos o nosso ‘Mapa de Mobilização Para Fase de Operação’. Sempre com o cuidado com a segurança dos nossos empregados, a Planta foi uma das áreas que identificamos a possibilidade de contratar pessoas ‘sem experiência’ para ocupar o cargo de Operador de Planta. Ou seja, vamos capacitar 100% todos os que passaram agora pelo processo seletivo e, desses 50 classificados, 41 ficarão conosco efetivamente. Isso, para nós, é muito gratificante”, diz a gerente de RH e Administrativo do Projeto Serrote, Dione Queiroz.

 

O processo seletivo do Programa Aprendiz Operacional foi idealizado pela MVV e realizado por meio da Consultoria Análise Gestão Empresarial, em parceria com o Instituto Edna Tizeu. Todas as fases do certame respeitaram as recomendações de distanciamento social e uso de máscara de tecido no rosto, por conta do novo coronavírus (COVID-19).

 

O treinamento terá duração de aproximadamente seis meses, com bolsa-auxílio mensal de R$ 600, uma oportunidade única aos selecionados, visto que na região não existem ainda cursos técnicos especificamente nesta área.

 

As obras do Projeto Serrote seguem avançando com a implantação da planta de beneficiamento para a extração do minério de cobre. As 50 pessoas aptas pelo Programa ajudarão a erguer esse sonho no Agreste Alagoano.

 

SOBRE A APPIAN

 

Desde 2018, 100% do capital da MVV pertence a um fundo de investimentos administrado pela Appian Capital Advisory LLP focado em mineração. O fundo também possui um ativo no Brasil no município de Itagibá (BA), denominado Atlantic Nickel, com foco na produção de concentrado de níquel sulfetado e capacidade nominal de 120 mil toneladas/ano, que voltou a operar em janeiro de 2020. Sediada em Londres, a Appian possui ainda escritórios em países como África do Sul e Canadá.