Cortesia
Josealdo Tonholo

Uma determinação recente do Tribunal de Contas da União (TCU) manda cortar valores dos salários de 11 aposentados da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A decisão pode abrir um sério e perigoso precedente, já que o corte nas aposentadorias afetadas pela decisão do Tribunal representa perdas e redução de vencimentos de aposentados até dos anos 80, que recebem há mais de 30 os seus benefícios.

“Vamos recorrer até a última instância para preservar salário de nossos aposentados. Não vamos permitir possíveis arbitrariedades e não vamos ficar sem agir diante de decisões que alteram ganhos incorporados há décadas por servidores da ativa ou aposentados de nossa Universidade. Vamos recorrer e buscar justiça para nossos aposentados e para nossos trabalhadores técnicos e docentes” afirmou ao blog o reitor Josealdo Tonholo, diante da decisão do TCU.

A fala do reitor mostra um novo tempo no trato das questões dos direitos dos servidores da Ufal. Em 2019, depois de uma manifestação do TCU de 2017, a reitoria da Universidade permitiu que fosse feito o corte de diversos valores e rubricas dos contracheques dos servidores, inclusive muitos da ativa. O posicionamento do reitor Josealdo Tonholo feito agora em agosto de 2020 trouxe segurança para muitos que podem ser afetados por decisões do Tribunal em se tratado de redução de vencimentos.