Padre Antônio Maria entre os noivos que não poderiam receber o sacramento da Igreja Católica

O 'midiático' padre Antônio Maria foi punido pela Igreja Católica por ter celebrado o casamento religioso do prefeito do município sergipano de Capela, Manoel Messias Sukita Santos (PSB) e Silvany Sukita. Segundo as regras do catolicismo, o sacramento não poderia ser celebrado pelo fato de um deles já ter sido casado em cerimônia católica.

Na manhã desta segunda-feira, 08, o padre Antônio Maria pediu desculpas por meio de uma retratação pública por ter desobedecido às determinações canônicas da Igreja Católica e a Arquidiocese de Aracaju. A reparação do padre que tem status de celebridade aconteceu por meio de uma gravação divulgada em emissora de rádio sergipana, admitindo seu erro e se desculpando com a população sergipana.

“Me sinto envergonhado com esta celebração que não poderia ser realizada e peço desculpas em nome da Igreja Católica e da Arquidiocese de Aracaju. Fiquei constrangido por manchar a honra da sagrada igreja”, diz o padre no áudio.

Bispo Auxiliar de Aracaju divulgou punição ao padre Antônio Maria

O Bispo Auxiliar de Aracaju, Dom Henrique Soares Costa, também se manifestou publicamente, anunciando a punição, ao padre Antônio Maria, que não poderá celebrar missas e nem fazer shows em Sergipe por um período de cinco anos.

Após toda a polêmica, o prefeito Sukita declarou que o padre estava presente na celebração apenas como amigo da família e não fazia parte do cerimonial. "O padre Antônio Maria foi como meu convidado, ele é muito querido por toda minha família, mas o casamento foi oficializado através de um juiz de paz. Este fato me deixa muito triste. Não queria que meu casamento se tornasse um problema para o amigo, mas posso provar através do registro do meu casamento para quem quiser, que não houve celebração religiosa”, afirmou Sukita.