A Coordenação Regional da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) em Alagoas realizou entre os dias 24 e 26 de agosto uma Oficina de Educação em Saúde e Mobilização Social no município de Poço das Trincheiras, na comunidade Quilombola Jacú-Mocó. A ação tem por objetivo os trabalhos de saneamento ambiental, prevenção de doenças e inclusão social na comunidade, ações que fazem parte da missão da instituição.

A comunidade Jacú-mocó, localizada na parte no sertão de Alagoas, conhecida como “Raso de dona Joana”, é bastante carente e fica a mais de 20 quilômetros da rodovia principal, portanto é um lugar de difícil acesso. De acordo com a líder comunitária do local, Demézia Silva a comunidade é formada por 117 famílias e a maioria das casas não possuem banheiros. Em conseqüência do clima semi-árido a água se torna um líquido precioso obtido através das cisternas, que captam água das chuvas, de poços e através de açude.


A oficina ocorreu na sede da Associação dos Moradores da comunidade Jacú-Mocó, com a presença da líder comunitária, Demézia Silva, a agente de saúde, Gileane Soares, além dos servidores da Funasa, Alberto Cavalcanti, Jalmo Lima, e o responsável pelas filmagens, Emanuel Toledo.

Foram abordados pelos agentes da Funasa os temas de higiene pessoal doméstica e ambiental, a preservação da água, lixo e uma breve explanação sobre a origem e cultura dos quilombos, com o artigo “Quilombolas; Resistência e Tradição”.


No momento também foi distribuído para a comunidade cartilhas de material educativo, com conteúdo de saúde bucal, como evitar a poluição das águas além de orientações sobre a importância de ferver a água antes de beber.


A população também recebeu orientação de como evitar a poluição ambiental e a doença de chagas, já que através de projetos feitos por engenheiros da Funasa, as casas de taipa serão substituídas pelas de alvenaria.