Raízes da África

Palmares (Não Há Racismo no Brasil)-Poema

Um poema que localiza  a geografia da luta negra em Palmares-Alagoas. Achei belíssimo. Confira...

Com a fé nos meus cantos/Eu luto/Sobrevivo aos trancos e barrancos/Engolindo sapos/E cuspindo marimbondos.
Minha calma é bravura/Minha calma é loucura
Sigo o lema:/_Mesmo morrendo/_Levantar dos tombos/_Defender com o próprio sangue/_O meu quilombo
Tudo é branco/Mas eu sou banto/Olhos mágicos me observam/Em todos os andares/Câmeras fotografam/E negativam o meu perfil/_Mas, não há racismo no Brasil
Com o axé de meus santos/Sou guerreiro/Vou de encontro aos solavancos/Dos navios negreiros/Agredindo sopapos/E resistindo aos troncos
Minha alma é pura/Minha alma é escura
Não há problema/_Durmir em chão xucro/_Roer pão duro/_Sou de uma raça/_Para qual a desgraça já perdeu a graça
O mundo é branco/Mas eu sou banto/Radares me localizam/ Em todos os lugares/Minha adorada pátria mãe/É tão gentil/_Não há racismo no Brasil

 


Fonte: GangaZumba Botafogo
 

Aceita o desafio?

O Guilherme Franco tem 06 anos e ainda engatinha na questão da leitura, mas dá show quando o assunto é poesia e se essa poesia for negra o menino solta a voz e ocupa todo território identitário.
O Guilherme é filho da professora Dra. Nanci Franco, que por sua vez é filha da Bahia de São Salvador e professora do Centro de Educação da Universidade Federal de Alagoas.
O Guilherme é um menino que tem coragem de escrever histórias e enfrentar platéias.
É a infância porta-voz de um aprendizado que comunga palavras com sabedorias e consciências de mundo: o meu, o seu igual ao nosso.
O Guilherme tem aproximação com a palavra que traz o selo da identidade, aos 06 anos já assume sua negritude. Ele aprendeu com a mãe.
O papel de uma mãe negra na construção da auto-imagem do filho é extremamente decisivo. A consciência do ser negra da mãe Nanci ajuda o Guilherme a definir a sua auto-imagem e o seu lugar no mundo. Inventa o senso de pertencimento.
No I Festival das Palavras Pretas acontecido em dezembro de 2010, no Restaurante Companhia da Lagosta, no bairro da Jatiúca, o pequeno leitor ficou num inquieto vaivém da infância e perguntava a toda hora: posso ler mais um poema?
O Guilherme vai participar do II Festival Alagoano das Palavras Pretas ,no dia 31 de janeiro, das 18 às 22 horas, no Teatro Abelardo Lopes que fica na Galeria Arte Center, Av.Antonio Gouveia, 1113, na Pajuçara.
O Festival é aberto ao público com uma programação digamos miscigenada de arte, canto e poesia e traz um desafio de juntar gente diferente que fale uma língua comum: a da poesia!
Assim como o Guilherme.
Aceita o desafio?


 

Recebemos da Espanha...

Prezados amigos e prezadas amigas,
Organizadores do II Festival Alagoano das Palavras Pretas
Maceió-Alagoas

Cordiais Saudações.

Primeiramente, os meus cumprimentos.

Como representante da Comunidade Negra da Espanha no Brasil, gostaria imensamente
de participar deste evento, levando a minha colaboração em forma de poesia e de prosa
para o povo alagoano, na nossa luta a respeito do reconhecimento do holocausto negro
na história da humanidade.

Na minha viagem, levarei exemplares dos meus três últimos livros, para distribuir graciosamente aos participantes.
Com estima e apreço, aguardo as suas considerações.

Respeitosamente,

JOSÉ ROBERTO GUEDES DE OLIVEIRA
Ensaísta, biógrafo e historiador; 11 livros publicados.
Prêmio Emílio Castelar Personalidade 2008, Madrid, Espanha.,
1º. Colocado no Concurso Internacional de Poesia pela Paz 2010, Bogotá, Colômbia.

 


 

Personalidades Alagoanas recebem o troféu “Guerreiro Quilombola” no II Festival Alagoano das Palavras Pretas.

No II Festival Alagoano das Palavras Pretas, personalidades alagoanas, guerreir@s/parceir@s do Projeto Raízes de Áfricas e da Comunidade de Remanescentes Quilombolas de Pau D’Arco, Arapiraca receberão o Troféu de Honra ao Mérito Guerreiro Quilombola.
É um tanto de gente que ao trançar possibilidades ampliam o leque dos atalhos para outros e novos caminhos: José Carlos de Andrade Lyra- Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas, Marcílio Barenco- Delegado Geral da Polícia Civil, Nelson Ferreira- Jornalista, Rosana Vilela- Diretora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Alagoas, Rogério Auto Teófilo- Secretário de Estado da Educação e do Esporte, Valdice Gomes- Presidenta do Sindicato de Jornalistas do Estado de Alagoas, Milton Pradines- Gerente de Relações Institucionais – BRASKEM, Ana Valéria Peixoto- Secretária de Educação Arapiraca/Alagoas, Chico de Assis Carvalho Júnior –Ator alagoano, Escola Municipal Paulo Bandeira- Maceió, Flaubert Filho- Prefeito de Viçosa/AL, José Geminiano Acioli Jurema- Advogado, João Rodrigues Sampaio Filho- Centro Universitário CESMAC, Patrícia Irazabal Mourão-Coordenadora Executiva do Instituto Magna Mater, - Sheila Maluf- Diretora da Editora da Universidade Federal de Alagoas
Como os tantos e muitos encontros promovidos pelo Projeto Raízes de Áfricas o II Festival Alagoano das Palavras Pretas foi construído a partir das parcerias: Federação das Indústrias do Estado de Alagoas, BRASKEM,Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, Polícia Civil, Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos,Secretaria de Estado do Turismo, Prefeitura de Viçosa/AL.
E como parceria é um festival de adesão/adoção, partilha, contamos com sua participação nessa festa de palavras.
O II Festival Alagoano das Palavras Pretas, que acontece dia 31 de janeiro, das 18 às 22 horas, no Teatro Abelardo Lopes que fica na Galeria Arte Center, Av.Antonio Gouveia, 1113, na Pajuçara.
A entrada é franqueada ao público, entretanto é preciso que você faça sua inscrição.
E para fazer a inscrição é simples: mande um e-mail dizendo: “Quero participar do II Festival Alagoano das Palavras Pretas”.Coloque seu nome completo, instituição,
endereço, telefone/celular,e-mail.
Envie para o seguinte e-mail: raizesdeafricas@gmail.com
Você receberá confirmação da inscrição.
Inscreva-se e fique a vontade. A palavra será toda sua!
Mais informações: (82)8815-5794

 

Um Festival de Poesia nos 15 anos da Serra da Barriga.

Dia 31 de janeiro de 2011 a Serra da Barriga torna-se juridicamente uma menina-moça.
A roda da Serra da Barriga é quilombola e traduz a simbologia da igualdade de direitos: somos diferentes, não desiguais.
Memória da história a Serra viu pariu a República dos Palmares.
15 anos de Serra tombada. Patrimônio histórico.
15 anos de símbolos e metáforas, palavras audíveis, outras nem tanto.
Metáforas e literaturas com ecos africanos contando a singularidade das histórias aproximando culturas.
Como menina moça, a Serra da Barriga, possui um linguajar especializado, tal qual uma geometria de palavras que transforma ouvintes em participe das histórias.
A palavra âncora na história do Parque é oralidade. E surgem outras: ancestralidade, historicidade, africanidade.
Pessoas lêem o mundo decifrando o sagrado que habita o Parque Memorial Quilombos dos Palmares, plantado no platô da Serra.
O Parque Memorial Quilombo dos Palmares é o primeiro complexo arquitetônico de inspiração africana no Brasil e o único projeto afro-cultural em todas as Américas.
E para contar histórias essas e outras histórias venha compartilhar com a gente o traçado da palavra-poesia: Serra da Barriga, na voz do ator Chico de Assis, no II Festival Alagoano das Palavras Pretas, que acontece dia 31 de janeiro, das 18 às 22 horas, no Teatro Abelardo Lopes que fica na Galeria Arte Center, Av.Antonio Gouveia, 1113, na Pajuçara.
A entrada para o I Festival Alagoano das Palavras Pretas é franqueada ao público, entretanto é preciso que você faça sua inscrição.
E para fazer a inscrição é simples: mande um e-mail dizendo: “Quero participar do II Festival Alagoano das Palavras Pretas”.Coloque seu nome completo, instituição, endereço, telefone/celular,e-mail.
Envie para o seguinte e-mail:  raizesdeafricas@gmail.com .
Você receberá confirmação da inscrição.
Inscreva-se e fique a vontade. A palavra será toda sua!
Mais informações: (82)8815-5794


 

Fernando Haddad pode ser a primeira baixa do governo Dilma.

A notícia está nas páginas da internet do IG.

Dilma Rousseff já não esconde mais sua insatisfação com o ministro da educação Fernando Haddad. A pasta dele já tinha apresentado sérios problemas com o Enem, e nesta semana houve falhas no Sisu, sistema de distribuição de vagas em universidades públicas.
Ainda assim, o ministro queria sair em férias, o que deixou Dilma extremamente aborrecida.
Fernando Haddad continua no ministério por um pedido de Lula. Ele nunca foi o preferido de Dilma para o cargo.
Se Lula liberar Dilma, Fernando Haddad pode cair nos próximos dias.
Já se dá praticamente como certo que ele não estará mais no governo quando o carnaval chegar.
 

 

Fonte: Último Segundo- IG

Lázaro Ramos incomoda (?)

O Brasil é um país racista? Segue mais um texto  cujo conteúdo  afirma  o racismo  como apartheid social. Cada um no seu quadrado?

Segunda-feira, dia 17 de janeiro, deu-se início no horário nobre da Rede Globo a nova novela “Insensato Coração”, de Gilberto Braga. A trama traz em seu elenco atores e atrizes consagrados como Antônio Fagundes, Natalia do Valle, Paola Oliveira, Eriberto Leao, Deborah Secco, Deborah Evelyn, Gloria Pires, Lázaro Ramos, Camila Pitanga e outros.
Mas parece que nem todos os atores acima citados agradaram o público. No dia seguinte da estreia da novela, Lázaro Ramos estava entre os Trend Topics do twitter. As mensagens referentes a ele indicavam a indignação por haver na novela das nove Lázaro Ramos como um designer rico, galã, “pegador” e bonito.
Sobre o talento de Lázaro não tem o que discutir, seus trabalhos no cinema como Cafundó, Madame Satã, O Homem que Copiava, Meu tio matou um cara, Ó Pai ó, não deixam dúvidas de sua excelente atuação. Porém, parece que mais uma vez a participação de um negro com um papel de destaque numa telenovela de alto alcance incomoda.
Veja algumas das mensagens no twitter que estão sem idetificação:
preeto é fooda, #lazaroramos só quis pegar a coitadinha e n quis nem saber o nome deela aaaar –’ por isso que eu n gosto dessas pessoas :s
O que esse #LazaroRamos tem!? o nariz de batata!? Cabelo na máquina !?
Não dá pra acreditar q um negro causaria tanta repercussão sobre seu papel, a beleza negra é diferente, nem tds vê #LázaroRamos #Pena!
ain .. sinceramente … que horror o #LazaroRamos .. ser o “pegador” da novela .. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk só não consigo engolir #LazaroRamos como galã.
#LázaroRamos de galã? ah tá senta láh…#semsal #insensatocoração
é um superpreconceito, um pouco da quebra desse preconceito foi a globo colocar o #LázaroRamos em papel de destaque na novela
Recentemente uma polêmica do mesmo gênero tomou o Brasil, quando em “Viver a Vida”, de Manoel Carlos surpreendeu os telespectadores com Taís Araújo como protagonista em um papel em que era modelo de renome internacional. A atriz recebeu inúmeras críticas em relação à sua atuação e ainda por não fazer juz “às Helenas de Manoel”.
Essa polêmica é totalmente previsível, em vista que tempos atrás a ideia de haver numa telenovela com um personagem negro de destaque era inconcebível. Isso mostra que mais uma barreira está sendo quebrada e temos Lázaro Ramos nos representando, assim não temos o que temer é só torcer que seu talento supere qualquer tipo de crítica e preconceito.
A questão do negro e sua caracterização nas telenovelas brasileiras podem ser estudadas em dois livros que abordam o tema. O primeiro, “A negação do Brasil”, de Joel Zito Araújo e “O negro brasileiro e o cinema” de João Carlos Rodrigues. Ambos fazem um apanhado da sociedade desde seus primórdios até os dias atuais e como essa questão social de etnias se refletem na televisão e no cinema.
Fonte:www.correionago.com.br

 

 

Jornalista Nelson Ferreira recebe Troféu de Honra ao Mérito Guerreiro Quilombola

O jornalista Nelson Ferreira tem a comunicação em seu DNA.
Comunicação como arte da partilha na escuta das diferentes falas sociais.
Durante sua gestão à frente da Secretaria de Estado da Comunicação inaugurou a cultura do diálogo com  representação do movimento social em Alagoas.
Nelson Ferreira foi cúmplice do processo de alargar os horizontes do fazer comunicação estatal.
Nelson Ferreira tem a percepção da mudança, simplificando caminhos e enfatizando a importância das parcerias sociais na construção de uma visão democrática de governo.
Nelson Ferreira, quando secretário de estado, foi artífice na construção das probabilidades e possibilidades para desconstruir  o racismo que habita o estado alagoano da República de Palmares.
O cargo assumido no governo não tornou Nelson Ferreira uma autoridade de gabinete, mas um cidadão que trabalhou os pequenos rastros da palavra falada e escrita, ocupando territórios de encontros mais humanos.
Ao investir na construção de ações do Projeto Raízes de Áfricas Nelson Ferreira estabeleceu espaços de ruptura com o silêncio estatal e estrutural, valorizando assim as proposições para formulação de políticas públicas.
No II Festival Alagoano das Palavras Pretas que acontece dia 31 de janeiro, das 18 às 22 horas, Nelson Ferreira recebe o Troféu de Honra ao Mérito Guerreiro Quilombola.
O Troféu de Honra ao Mérito Guerreiro Quilombola é uma criação da Comunidade de Remanescentes Quilombolas de Pau D’arco, Arapiraca, Alagoas e do Projeto Raízes de Áfricas e inaugura um referendo simbólico de agradecer a todos os parceiros e parceiras que ao longo da caminhada internalizaram a concepção da partilha como fonte de poder coletivo e o mais importante produziram possibilidades para que o Projeto Raízes de Áfricas pudesse materializar ações e construir novos e diferentes processos, na busca da igualdade e oportunidades de direitos para a população negra
O II Festival Alagoano das Palavras Pretas Festival terá como palco o Teatro Abelardo Lopes que fica na Galeria Arte Center, Av. Antonio Gouveia, 1113,no bairro da Pajuçara e pretende reunir as muitas gentes no entorno das palavras pretas: poesias e poemas, como fonte peculiar de encontros e descobertas.
A entrada para o I Festival Alagoano das Palavras Pretas é franqueada ao público, entretanto é preciso que você faça sua inscrição.
E para fazer a inscrição é simples: mande um e-mail dizendo: “Quero participar do II Festival Alagoano das Palavras Pretas”. Coloque seu nome completo, instituição, endereço, telefone/celular,e-mail.
Envie para o seguinte e-mail: instituto-afro@googlegroups.com, com cópia para raizesdeafricas@gmail.com
Você receberá confirmação da inscrição.
Inscreva-se e fique a vontade. A palavra será toda sua!
Mais informações: (82)8815-5794


 

Ator Chico de Assis participa do Festival Alagoano das Palavras Pretas

Dia 31 de janeiro de 2011, a Serra da Barriga, sede da República dos Palmares, em Alagoas completa 15 anos de inscrita no Livro de Tombamento Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico do Instituto do Patrimônio Histórico - Artístico Nacional – IPHAN;
Tombamento é o ato de reconhecimento do valor cultural de um bem, que o transforma em patrimônio oficial e institui regime jurídico especial de propriedade, levando-se em conta sua função social
Os 15 anos do registro do tombamento da Serra da Barriga tem o sabor de um rito de passagem. A Serra ganha o status da maturidade: 15 anos!
Uma maturidade carregada da herança coletiva de símbolos, oralidades ,ancestralidade, historicidade, africanidades.
O simbolismo do Parque Memorial Quilombos dos Palmares, plantado no platô da Serra.
O Parque Memorial Quilombo dos Palmares é o primeiro complexo arquitetônico de inspiração africana no Brasil e o único projeto afro-cultural em todas as Américas.
Simbolismo rimando com liberdade bordadeira de literaturas.
Literatura das boas, como intérprete das nossas memórias ancestrais ,como bem o diz, José Carlos Limeira, escritor baiano, da geração de escritores militantes negros que começaram a produzir na década de setenta do século XX:
“Por menos que conte a história
Não te esqueço meu povo
Se Palmares não vive mais
Faremos Palmares de novo
Saudades das tuas noites
Fogueiras que não vivi
Palmares, Estado Negro
Vivo pensando em ti (...)”
Na noite do dia 31 de janeiro, nos 15 anos da Serra da Barriga, o Projeto Raízes de Áfricas promove o Festival Alagoano das Palavras Pretas, no Teatro Abelardo Lopes que fica na Galeria Arte Center, Av. Antonio Gouveia, 1113,no bairro da Pajuçara, das 18 às 22 horas, reunindo as gentes boas daqui e de acolá, de todas e muitas cores, credos e ideologias.
O Festival Alagoano das Palavras Pretas quer contar histórias poetizadas, com singularidade buscando aproximar outras culturas, das amplas maiorias minorizadas.
Teremos poesias pretas impressas e espalhadas pelos cantos, recantos do Teatro Abelardo Lopes para que você possa criar intimidade e soltar a voz, junto com o grande ator, cidadão alagoano Chico de Assis.
O Festival Alagoano das Palavras Pretas quer transformar pessoas espectadoras em participes na construção das leituras públicas da poesia.
Durante o Festival haverá a entrega do Troféu de Honra ao Mérito Guerreiro Quilombola aos parceiros/colaboradores da Comunidade Quilombola de Pau D’Arco e do Projeto Raízes de Áfricas.
A entrada para o I Festival Alagoano das Palavras Pretas é franqueada ao público, entretanto é preciso que você faça sua inscrição.
E para fazer a inscrição é simples: mande um e-mail dizendo: “Quero participar do II Festival Alagoano das Palavras Pretas”.Coloque seu nome completo, instituição,
endereço, telefone/celular,e-mail.
Envie para o seguinte e-mail: instituto-afro@googlegroups.com, com cópia para raizesdeafricas@gmail.com
Você receberá confirmação da inscrição.
Inscreva-se e fique a vontade. Você não vai faltar. Vai?!
Mais informações: (82)8815-5794

 

Elói Ferreira de Araújo é o novo presidente da Fundação Cultural Palmares

O novo presidente da Fundação Cultural Palmares é o ex-ministro da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) ,Eloi Ferreira, filho de pai lavrador, e mãe doméstica,Elói Ferreira Antes já havia ocupado a secretaria-adjunta da Seppir e coordenado a equipe organizadora da 2ª Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial.
A definição do novo quadro estrutural da Secretária Nacional de Cultura foi anunciado hoje, em Brasília, pela ministra da Cultura, Ana de Hollanda que definiu a equipe com que vai implementar as políticas culturais do governo da presidenta Dilma Rousseff.
Seja bem vindo, Elói Ferreira de Araújo!
 

 

Fonte:[culturaspopulares] Enc: Ministra da Cultura anuncia equipe

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com