Coluna Labafero

Renan se irrita com caso de plágio no programa de Almeida

Foto: Joyce Marina Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Governador Renan Filho durante assinatura de ordem de serviço de maternidade

O governador Renan Filho ficou muito irritado com o caso denunciado pelo jornal Folha de São Paulo sobre o plágio no programa de governo do candidato Cicero Almeida, que utilizou trechos inteiros do programa do deputado federal Ronaldo lessa, quando este foi candidato a prefeito.

Renan lembrou aos seus auxiliares que foi feito um seminário para discutir estas propostas e que ele não entende como foi feito isso. Nas explicações um jogo de empurra entre a equipe próxima a Almeida e a equipe próxima a Calheiros, que cada vez mais não se bicam.

Novo marqueteiro de Almeida impõe sua marca

Foto: Vanessa Alencar/CadaMinuto/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Cícero Almeida

O novo responsável pela campanha de Cicero Almeida, o marqueteiro Adriano Gehres, já começou a impor seu trabalho. Trouxe uma equipe de mídia soicial de Brasília, dispensando a atual, de Recife/Alagoas, que reclamava da falta de pagamentos.

Adriano também começou a implementar pequenos vídeos na web, sempre criticando o atual prefeito Rui Palmeira. A intenção, mais do que alavancar Almeida, é desidratar Rui, já com vistas na eleição de 2018

Presidente da Câmara de Marechal Deodoro é candidato...Em outra cidade

Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Com a determinação, pela Justiça Federal, do afastamento do prefeito Cristiano Matheus de Marechal Deodoro foi descoberta uma situação no mínimo inusitada. A vice-prefeita não foi encontrada, e o presidente da Câmara Municipal da cidade não poderá assumir por ser candidato. Mas, veja bem, ele é candidato a vereador em outra cidade.

Abelardo Leopoldino, delegado licenciado, é candidato a vereador em Coqueiro Seco, e deixou sua mulher, como candidata a vereadora em Marechal. O Caso já foi encaminhado a Justiça Eleitoral.

PF apura denúncia de distribuição de dinheiro vivo por ex-prefeito

CadaMinuto - Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Sede da Polícia Federal em Alagoas

Esta coluna apurou que chegou para a Policia Federal uma denúncia, com vasta documentação de vídeos e fotos e mensagens telefônicas, sobre um ex-prefeito que estaria distribuindo dinheiro vivo para eleitores e cabos eleitorais para seu candidato a prefeito em uma cidade localizada no Agreste alagoano.

O detalhe é que este ex-prefeito é personagem frequente em várias outras operações da própria policia federal em Alagoas. Teremos uma semana de fortes emoções pela  frente.

Em Rio Largo empresário pode surpreender favoritos

Foto: Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Prefeitura de Rio Largo

Como já é tradicional a eleição em Rio Largo está duríssima e surpreendente com quatro candidatos lutando pela prefeitura quase que em igualdade de condições. A surpresa é que o empresário Pedro Victor pode surpreender três grandes favoritos a disputa. O deputado estadual Marcelo Victor, o ex-deputado Gilberto Gonçalves, aquele do “quero meu dinheiro” e a ex-prefeita Vania Paiva.

O sucesso de Pedro parte justamente da grande rejeição dos outros candidatos. Na reta final, tudo pode acontecer na cidade, mas começar a crescer faltando dez dias para o pleito pode ser determinante.

1/3 do eleitorado de Arapiraca disse que não sabe em quem votar

Ilustração Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Cidade de Arapiraca

Um dado interessante sobre a pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Paraná no Sistema Pajuçara de Comunicação da conta da imprevisibilidade que ronda as eleições municipais de Arapiraca.

32,6 % do eleitorado, ou 1/3 de todos os votantes, dizem que ainda não escolheram seu candidato para a disputa, ou se não escolheram não divulgam. E mais, 8% diz abertamente que não vai votar em ninguém.

Hoje, o quadro revelado pela pesquisa mostra Nezinho com 36, Tarcisio com 26 e Rogério com 20. Mas fica claro que 1/3 do eleitorado representa muita coisa, e os candidatos sabem disso. Teremos dez dias intensos de campanha em Arapiraca.

Gustavo Pessoa: JHC não tem que se desculpar comigo, mas com a  democracia

Foto: Vanessa Alencar/CadaMinuto/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Gustavo Pessoa

O candidato a prefeito de Maceió Gustavo Pessoa disse que não sabia onde o deputado e candidato a deputado federal, JHC, estava com a cabeça quando o chamou de nazista no debate entre os candidatos da TV Mar, na última segunda (19).

“Quando perguntei o que ele pensava a respeito da oligarquia Caldas, a qual ele pertence e controla politicamente a região de Ibateguara, ele respondeu me chamando de nazista. Difícil entender a associação. O Nazismo, enquanto doutrina, pregava a supremacia de uma raça sobre as outras. Sob esse falso argumento, matou mais de 50 milhões de pessoas. Em uma entrevista logo após o debate, ainda perplexo, exigi que o candidato Caldas me pedisse desculpas pela ofensa grave, criminosa. Não sou racista, muito menos assassino. Passado o calor do momento, venho a público retirar minha exigência das desculpas. Não devo esperar nada do candidato JHC, que posa orgulhoso ao lado de Eduardo Cunha. De um candidato-embalagem sem conteúdo, é melhor não esperar muito. Mas talvez João Henrique Caldas, o príncipe da oligarquia Caldas, devesse se desculpar com os negros, com as mulheres, com a comunidade LGBT e demais minorias.”

Por fim Gustavo disse ainda que JHC chamou um cidadão de criminoso porque esse cidadão o fez uma pergunta. Não é a mim que ele deveria pedir desculpas: JHC deveria pedir desculpas à Democracia.

Eleições 2016: Nezinho segue na frente em Arapiraca

Foto: Vanessa Alencar/CadaMinuto/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Ricardo Nezinho

O candidato Ricardo Nezinho (PMDB) lidera a disputa pela corrida a Prefeitura de Arapiraca, interior de Alagoas, com 36% das intenções de voto. É o que aponta a pesquisa encomendada pelo Pajuçara Sistema de Comunicação (PSCom) ao Instituto Paraná.

Tarcizo Freire (PP) vem logo em seguida, com 25,9%. Rogério Teófilo (PSDB) aparece no levantamento com 20,1%, enquanto Lindomar Ferreira com 2,1% (PSOL).

A pesquisa, registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TER) sob o número 07110/2016, ouviu 680 eleitores entre os dias 15 e 19 de setembro.

Projeto de Lei retira benefícios de Collor e Dilma

Foto: Arquivo/Cadaminuto Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Collor e Dilma

Em tramitação no Senado, um Projeto de Lei de autoria do senador Álvaro Dias (PV-PR) retira de ex-presidentes que perderam o mandato por condenação do Senado em razão de crime de responsabilidade, ou pelo STF, por crime comum, benesses destinadas àqueles que comandaram o País: direito a quatro assessores e dois veículos oficiais com motoristas, para segurança e apoio pessoal, com despesas custeadas pela União.

Na prática, caso aprovada, a matéria atingirá apenas os ex-presidentes Fernando Collor (PTC) e Dilma Rousseff (PT).

Conforme a Agência Senado, o autor da proposição destacou que “não é razoável que se renda essa ‘homenagem’ aos ex-presidentes da República que tenham sido cassados pelo cometimento de crime”.

O senador destacou ainda que o projeto visa recuperar o bom senso institucional e normativo.

O texto está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa para o recebimento de emendas.

Renan Calheiros critica "exibicionismo” na Lava Jato

Foto: Agência Senado/Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Senador Renan Calheiros

Em entrevista à imprensa na tarde desta terça-feira, 20, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB) disse que a Lava Jato não pode apresentar denúncias por “exibicionismo”.

Também citado na Lava Jato, Calheiros criticou a denúncia feita pelo MPF contra o ex-presidente Lula e defendeu que a operação é responsável por separar o joio do trigo.

“Ela tem a responsabilidade de acabar com esse exibicionismo, fazer denúncias que sejam consistentes. Acabar com o exibicionismo que nós vimos agora no episódio do ex-presidente Lula e vimos em outros episódios, porque isso, ao invés de dar prestígio ao Ministério Público, retira prestígio do Ministério Público”, afirmou.

"É preciso fazer denúncias, investigar, mas que tenham começo, meio e fim, que sejam consistentes, e não fazer denúncias por mobilização política, porque com isso o país perde, as instituições perdem também”, insistiu Calheiros.

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com