Brasil e Turquia buscam intensificar relações comerciais

  • antoniomelo
  • 21/05/2009 05:13
  • Brasil/Mundo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o primeiro-ministro da Turquia, Recep Yayyip Erdogan, conversaram, no início da noite de ontem (20), sobre a intensificação das relações comerciais entre os dois países e sobre a paz no Oriente Médio. Procedente de Pequim, Lula chegou ontem (20) a Istambul, maior cidade turca, e se encontrou com Erdogan Hotel Çiragan Palace, antiga residência de sultões no Império Otomano.

 

No encontro, Lula e Erdogan começaram também a acertar a visita do primeiro-ministro turco ao Brasil, no ano que vem, quando o Brasil vai sediar mais uma conferência da Aliança das Civilizações.

 

Apesar de ser a vigésima economia do mundo, com um Produto Interno Bruto (PIB. soma de todos os bens e serviços produzidos no país) de US$ 800 bilhões, a Turquia está em 51º. lugar entre as parcerias comerciais do Brasil. É um comércio que está crescendo – chegou a triplicar em cinco anos - mas ainda é pequeno, tendo atingido US$ 1,2 bilhão em 2008, segundo o governo brasileiro, ou US$ 2 bilhões, segundo o governo turco, que quer ampliar o fluxo para US$ 10 bilhões nos próximos cinco anos.

 

“Não existe mercado pequeno para nós. Todos os mercados são importantes”, disse o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge.

 

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, que também participou do encontro, disse que o presidente Lula conversou com Erdogan sobre o interesse da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) de recuperar o terreno perdido quando a Coréia venceu uma recente concorrência para fornecer aviões à Turquia. Segundo ele, há interesse da Embraer em se associar à Turquia para produzir os aviões cargueiros a jato que vão suceder os Hércules.

 

Hoje (21) Lula deverá encerrar um seminário do qual participam 40 empresários brasileiros e 150 turcos. Os principais temas do seminário  são infraestrutura, indústrias de defesa, turismo e alimentos e energia, incluindo biocombustíveis. Há perspectivas também de parcerias na produção de autopeças. Ainda durante a visita de Lula, a Petrobras deverá ratificar com a estatal turca TPAO a parceria para a prospecção e extração de petróleo no Mar Negro.

 

No comércio entre os dois países, o Brasil leva vantagem, exportando praticamente o dobro do que importa da Turquia. Mas a relação se inverte no turismo. No ano passado, segundo Celso Amorim, 45 mil brasileiros devem ter visitado a Turquia e apenas 5 mil turcos viajaram para o Brasil.

 

A Turquia, com quase 800 mil quilômetros quadrados e 70 milhões de habitantes, vive um dilema entre o sonho de pertencer à União Europeia e o crescimento do islamismo. O AKP, partido islâmico, venceu duas eleições seguidas. É o partido do primeiro-ministro e do presidente, Abudullah Gül, que receberá o presidente brasileiro sexta-feira na capital, Ancara.

 

Hoje o presidente fará um passeio de barco pelo Estreito de Bósforo e visitará atrações históricas de Istambul, como a Mesquita Azul e o Museu Santa Sofia.