Espetáculo popular que engloba romance, música, lendas e orações será atração especial do Engenho de Folguedos

  • Redação
  • 21/12/2010 11:59
  • Cultura
Assessoria

Auto de assunto marítimo que corresponde a Marujada, Barca e a Nau Catarineta de outros Estados brasileiros. O Fandango não possui um enredo ordenado e lógico. É constituido por uma série de cantigas náuticas de diversas épocas que retratam odisséias marítimas dos navegadores portugueses, lembrando o sofrimento de uma nau perdida.


Único representante deste folguedo em Alagoas, o Fandango do Pontal está situado, na sede da colônia dos pescadores, no Pontal da Barra. O grupo existente desde 1930 e foi resgatado em 2001, pelos coordenadores Valéria e Vavá, depois de passar trinta anos sem atuar, por falta de recursos.

O Mestre Pancho é figura tradicional e conduz o grupo desde o falecimento do saudoso mestre Isaldino, seu pai. Ele é quem comandará a festa do Projeto Engenho de Folguedos desta quarta feira, (22), a partir das 20hs, nos Jardins do Palácio Floriano Peixoto. Uma realização da Associação dos Folguedos Populares de Alagoas (Asfopal), com apoio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult).
O fandango é um espetáculo popular que engloba romance, dança, música, anedotas, ditos, lendas e orações. É uma festa em homenagem aos marujos, que acontece na época natalina.


Vestindo fardas de oficiais da Marinha e marinheiros os 36 integrantes entoam as cantigas Alerta, Somos de Lisboa e Triste Vida é dos Marujos, e dançam ao som de instrumentos de corda, em uma nítida formação portuguesa. Há um cortejo de abertura que canta e recita episódios da vida no mar.


O Engenho de Folguedos acontece todas as quartas-feiras, a partir das 20h, nos Jardins do Museu Palácio Floriano Peixoto (MUPA), Centro. O MUPA fica aberto até às 21hs para visitação. A entrada é franca. Mais informações: 3315-7874