A mudança no regime contábil da Petrobras não é assunto para ser tratado numa Comissão Parlamentar de Inquérito, mas pela Receita federal. Disse ontem (19) o presidente da República em exercício, José Alencar.

 

“Se há um lançamento [contábil] equivocado, a Receita Federal vai cobrar. Se a Petrobras acha que está certa, ela vai se defender como uma empresa qualquer. Não temos o direito de intrometer nisso”, afirmou Alencar antes da cerimônia de abertura do 25º Congresso Brasileiro de Radiodifusão, em Brasília.

 

O presidente em exercício espera que a CPI criada no Senado aja de maneira respeitosa com a Petrobras e com a Receita Federal.

 

Indagado sobre a possibilidade de um terceiro mandato para o presidente Lula, Alencar disse que “se perguntar para o povo, provavelmente o povo responda que gostaria que o Lula ficasse mais tempo no poder”. No entanto, de acordo com Alencar, o presidente Lula nunca admitiu nada que não estivesse de acordo com a Constituição.

 

Alencar também falou sobre a saúde da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, que está internada para exames no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. De acordo com o presidente em exercício, Dilma está bem e que deve voltar ao trabalho hoje (20).