O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, confirmou nesta terça-feira (19) a nomeação do ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton como enviado especial da entidade para o Haiti.

 

O objetivo é usar a popularidade de Clinton para atrair investimentos ao país, devastado pela guerra civil.

Clinton, que juntou esforços para ajudar a empobrecida nação caribenha a se recuperar dos impactos devastadores de quatro furacões no ano passado, acompanhou Ban em uma visita ao Haiti no início deste ano.

 

  Visita

Durante a visita ao Haiti em março, Clinton e Ban disseram estar impressionados pelo potencial de crescimento do Haiti e pediram que o governo do país explorasse rapidamente termos favoráveis de comércio com os Estados Unidos e a presença de cerca de 9.000 soldados de paz da ONU.


Outro diplomata disse que Clinton é uma "escolha excelente" para ajudar a destravar o potencial do Haiti para investimentos.


Ban disse que a nação caribenha, o país mais pobre das Américas e marcado por uma história de violência e conflitos políticos, fez progresso em restabelecer a paz e a estabilidade mas deve fazer mais para atrair investimento.


A Organização das Nações Unidas disse que a mão-de-obra barata, a proximidade com os EUA e com o Canadá e o acesso livre de impostos que o Haiti pode ter ao mercado norte-americano nos próximos nove anos pode impulsionar um futuro de crescimento econômico ao país.