César Cielo, campeão olímpico nos 50m, terá que pensar em outro traje para disputar o Mundial de Roma, em julho, assim como os franceses Alain Bernard e Frédérick Bousquet. Os trajes utilizados pelo brasileiro e pelos recordistas mundiais nos 100m e nos 50m livre não foram aprovados pela

Federação Internacional de Natação (Fina).

 

A entidade divulgou nesta terça-feira a lista os maiôs aceitos após uma reunião de dois dias.Os polêmicos maiôs X-Glide e Jaked 01, utilizados recentemente em várias quebras de recordes mundiais, inclusive a do brasileiro Felipe França, foram vetados. No entanto, a Fina não deixou claro se as marcas serão invalidadas.

 

O modelo X-Glide foi utilizado por Alain Bernard na quebra do recorde dos 100m livre (46s94). O traje foi criado pela Arena especialmente para o francês e o brasileiro César Cielo. O brasileiro, contudo, não teve uma boa experiência em sua estreia. O maio rasgou em seu primeiro teste, durante o Troféu Maria Lenk, no Rio de Janeiro.

 

Já o maiô Jaked 01 fez sucesso após a quebra do recorde mundial dos 50m livre pelo francês Frédérick Bousquet (20s94). O traje foi escolhido por praticamente todos os brasileiros que conseguiram marcas expressivas no Maria Lenk. No entanto, o modelo J003 da empresa fabricante, mais "light", foi aprovado.

 

- O Jaked e o X-Glide não estão na lista dos maiôs aprovados pela Fina. Estamos aguardando maiores informações antes de nos pronunciar - declarou Christian Donzé, diretor técnico nacional (DTN) da Federação Francesa de Natação (FFN). 

 

De acordo com a Fina, 348 trajes de 21 fábricas foram analisados no Instituto de Tecnologia e Ciência da Suíça. Destes, 202 foram aprovados. Dezessete empresas tiveram seus maiôs reprovados ou parte deles. O LZR, que fez sucesso nas Olimpíadas de Pequim, foi liberado.

 

As fabricantes dos maiôs reprovados terão até o dia 19 de junho para apresentar uma nova versão para novas avaliações da Fina.