O Ministério Público Estadual encaminhou ontem (18) um parecer contrário ao pedido de progressão de pena de Suzane Von Richthofen, presa em Tremembé, a 147 km de São Paulo. O pedido autorizaria a condenada a cumprir o restante da pena em regime semiaberto.

 

O promotor Paulo de Palma pediu ainda que Suzane seja submetida a um exame criminológico. O advogado de Suzane pediu o benefício ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), com a alegação de que ela já cumpriu um sexto da pena.

 

O STJ deu parecer favorável. Só que, no entendimento do Ministério Público de Taubaté (a 140 km de São Paulo), Suzane não pode ser transferida para o regime semiaberto sem antes passar por um exame criminológico.

 

Para o promotor, essa é a única forma de se comprovar se ela apresenta riscos à sociedade. Depois do resultado do exame, o Ministério Público vai reavaliar o pedido.

 

O exame criminológico a que Suzane será submetida contará com a avaliação de um psiquiatra, um psicólogo e um assistente social. O documento costuma ser pedido em casos de crimes mais violentos. O exame ainda não tem data marcada.