Passeata no Rio pede fim do preconceito contra gays

  • teresa
  • 18/05/2009 07:04
  • Brasil/Mundo
Cerca de 50 pessoas participaram ontem da caminhada pelo Dia Mundial de Combate de Combate à Homofobia e pela Paz na orla da praia de Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro. Sob gritos de "não à discriminação: atrás de um silicone também bate um coração", os participantes carregavam flores em memória às vítimas de assassinatos cometidos em decorrência de preconceito.

Para a presidente do Grupo Arco-Íris, Gilza Rodrigues Silva, manifestações pelos direitos civis dos homossexuais são importantes para dar visibilidade às reivindicações da comunidade gay. "É importante chamar a atenção de todos para nossas reivindicações", disse.

Ela afirmou também que uma das vitórias foi a inclusão do delito "homofobia" nos formulários de agressão nas delegacias da capital fluminense. Também presente à passeata, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, defendeu a inclusão em leis federais da homofobia como crime. "Já temos a homofobia classificada como crime em algumas leis estaduais, mas não na federal", disse.