Em mais uma atividade de fortalecimento das ações de interiorização da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), foi iniciada nesta sexta-feira, no município de Penedo, a oficina “Gestão e documentação de acervos”, durante a qual 41 pessoas ligadas a atividades museológicas, de várias cidades de Alagoas, começaram e ter contato com técnicas novas e conhecimentos atuais do tratamento com as obras.

“Temos aqui pessoas de Arapiraca, Santana do Ipanema, Pilar, Coruripe, sem contar os profissionais de Penedo que atuam nas secretarias de Cultura e Educação, além da Fundação Raimundo Marinho e também da Casa do Penedo”, ressaltou o diretor do Museu Floriano Peixoto e coordenador da oficina, Fernando Lobo.

A oficina é ministrada pela professora doutora Rosana Nascimento, da Universidade Federal da Bahia, que durante a abertura do evento ouviu as experiências dos alunos e relatos sobre as características dos locais onde atuam. “Estou achando muito proveitoso este trabalho, que, por incrível que pareça, é o meu primeiro no Nordeste. Já que fixei residência em Florianópolis e nunca tinha vindo ministrar algum evento na minha região”, revela Rosana Nascimento.

De acordo com ela, a proposta da oficina é apresentar novas maneiras de criar sistemas de documentação museológicas, baseados nas noções didáticas de quem tem uma formação específica na área. “Cada um vive uma situação diferente em sua cidade e essa troca de experiências é muito saudável. Trouxe minha apresentação para estes três dias com as ações desenvolvidas em museus de todo país”, detalha a professora.

O evento na Casa do Penedo, que tem o apoio do Departamento de Museus (Demu), do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e do Ministério da Cultura, prossegue até sábado (16).

"Mais uma vez nos sentimos muito felizes por concretizar a descentralização das oficinas e garantir que os participantes passem a ser agentes multiplicadores de conhecimento”, afirma Fernando Lobo.