A Prefeitura de Anadia, através da Secretaria de Cultura, vem realizando ações importantes para resgatar a história e a cultura do município que, durante anos, permaneceram praticamente esquecidas, em virtude da falta de investimentos públicos e ações voltadas à valorização cultural.

De acordo com o secretário da pasta, Cícero Rafael (Ciçô), vários projetos já foram elaborados pela prefeita Sânia Tereza para reativar a Cultura em Anadia, mas que ainda esbarram na irresponsabilidade da gestão anterior, que ocasionou o corte de diversos recursos federais destinados à Cultura do município. Trabalhando basicamente com a ajuda financeira da Prefeitura, a Secretaria de Cultura de Anadia já começa a dar alguns passos importantes no resgate cultural.

O secretário alegou que estão sendo estudadas estratégias para a reativação de manifestações culturais como o Pastoril, Baianas e Chegança. Ciçô, que também é artista plástico, montou uma pequena exposição de pintura em telas nos corredores da secretaria, que conta a história da cidade, retratando como era a o cotidiano de Anadia há cerca de quatro décadas.

Um pequeno museu também funciona na sede daquela secretaria. Na sala de artes-sacras, o visitante pode encontrar imagens centenárias, vestes sacerdotais, castiçais, oratórios, confessionário, entre outros. Já na sala de antiguidades estão expostos rádios antigos, radiolas, peças em porcelana, armas, relógios, alfarrábio, discos de vinil, documentos de escravos e mobiliários. Tanto o museu como a exposição, estão abertos ao público de segunda a sexta em horário comercial.

Prédio se encontrava em estado de abandono

Ao assumir o cargo de Secretário de Cultura em Anadia, Ciçô tomou um susto ao constatar a precariedade em que se encontrava o prédio onde funciona aquela pasta. Segundo ele, no local funcionava uma espécie de almoxarifado da Prefeitura, onde tudo o que era inservível para a gestão anterior era depositado nos cômodos daquele prédio, dividindo espaço com muita sujeira, morcegos e até cobras.

Bastante decepcionado ao ver como algumas pessoas não davam importância à história e cultura de uma cidade e de um povo, Ciçô resolveu arregaçar as mangas e, juntamente com uma equipe de funcionários da Prefeitura, iniciou uma limpeza total no prédio construído em 1930, onde durante muitos anos, deu lugar à cadeia pública de Anadia.

Durante a limpeza foram retirados cerca de três sacos de fezes de morcego, casas de cupins, lixo, metralhas e até uma cobra coral foi encontrada nos fundos do prédio. “Realmente o descaso com a Cultura era grande aqui em nosso município. Esse prédio, que deveria dar espaço ao resgate de nossa história e ao incentivo dos jovens à cultura, servia como depósito de lixo”, lamentou o secretário.

Ciçô disse também que encontrou diversas peças de mobília e outros materiais danificados, goteiras no teto e, talvez o verdadeiro retrato do descaso: onze computadores novos amontoados em caixas no canto de uma sala. As máquinas chegaram ao município no ano passado, através de um convênio com o governo federal.