A reunião secreta, na sala do presidente Fernando Toledo (PSDB), envolvendo os 18 deputados presentes na sessão desta terça-feira da Assembléia Legislativa durou quase duas horas. Em discussão, as cobranças assíduas feitas pelos deputados de oposição à Mesa Diretora perante os casos do “Calote” do INSS, redução da verba de Gabinete, e a auditoria na folha de pagamento.

Uma nova reunião está marcada para a quarta-feira, 20 de maio, novamente com todos os deputados. O deputado da oposição Rui Palmeira (PR) e o da situação Sérgio Toledo (PMN) comentaram sobre os assuntos debatidos na reunião.

Extinção do Gabinete Militar

O segundo vice-presidente da ALE, Sergio Toledo (PMN), explicou que nenhuma discussão ainda foi feita sobre a decisão do conselho estadual de segurança, em extinguir os gabinetes militares, exceto o do executivo estadual.

Já Rui Palmeira se disse favorável a emenda, uma vez que muitos deputados, inclusive afastados, usufruem dos militares da ALE. “Não a necessidade para 90 militares estarem atolados na assembléia. Sei que existem os que trabalham diariamente, mas também existem os que prestam serviços aos parlamentares”, explodiu.

Conselho de Ética

Toledo ainda informou que amanhã, após a sessão ordinária, será realizada uma reunião para debater a composição da Comissão de Ética, aprovada em abril. “É hora dos blocos partidários discutirem a composição”, indagou.

“Não vai funcionar. Os deputados que irão compor a comissão estão ligados a Mesa Diretora e conseqüentemente aos deputados afastados. Continuará essa briga de blocos: oposição contra Mesa Diretora”, disse Palmeira novamente criticando a futura composição e atuação dos integrantes do Conselho de Ética.

Auditoria

Em relação à auditoria na folha de pagamento tão aguardada pelos deputados, Rui Palmeira contou que durante a reunião, o presidente Fernando Toledo informou que o presidente da Fapetec, empresa que realizou a auditoria, estará em Maceió muito em breve e que entregará o relatório final com cópias para todos os deputados.

O oposicionista ainda disse que haverá em outro dia uma reunião apenas para discutir a redução da verba de gabinete. “Eles (Mesa Diretora) informaram que estão estudando a diminuição. É uma verba exagerada e é preciso dar controle aos gastos dos parlamentares”, falou.