Vinte e uma cidades da região Celeiro, no Interior do Rio Grande do Sul, iniciaram ontem a paralisação de suas atividades municipais devido à forte estiagem que atinge o Estado. Nessas cidades, que integram também a lista dos municípios em situação de emergência, as aulas da rede municipal e os serviços públicos e privados foram suspensos.

 

Devido à seca, 216 municípios decretaram emergência no Estado. Segundo a Defesa Civil, há previsão para chuva forte ainda esta semana, mas a precipitação não deve ser suficiente para reverter os efeitos da estiagem.

 

Segundo a assessoria do governo do Estado, nas cidades de Barra do Guarita, Bom Progresso, Braga, Campo Novo, Chiapetta, Coronel Bicaco, Crissiumal, Derrubadas, Esperança do Sul, Humaitá, Inhacorá, Miraguai, Redentora, Santo Augusto, São Martinho, São Valério do Sul, Sede Nova, Tenente Portela, Tiradentes do Sul, Três Passos e Vista Gaúcha só estão mantidos os serviços essenciais, como atendimento de saúde, coleta de lixo, abertura de bebedouros e valas de água e o serviço de distribuição de água por meio de caminhões-pipa.

 

De acordo com a Associação dos Municípios da Região Celeiro (Amuceleiro), as perdas causadas pela seca ultrapassam os R$ 160 milhões e mais de 3 mil famílias sofrem com a falta de água.

Segundo a associação, a decisão foi tomada em reunião realizada na semana passada. As atividades ficarão suspensas até a próxima sexta-feira.