Rubens Barrichello largou bem no GP da Espanha, mas a vitória ficou novamente com Jenson Button, que venceu pela quarta vez em cinco provas disputadas na atual temporada da Fórmula 1. O brasileiro da Brawn liderou a corrida até a metade, mas pecou na estratégia e terminou em segundo. Já Felipe Massa teve chance de pódio, mas a Ferrari voltou a prejudicar o brasileiro, que terminou em sexto.

O piloto da Ferrari era o quarto após seu último pit stop, mas Webber, que estava em terceiro e ainda precisava parar, conseguiu voltar na sua frente. Para piorar, a Ferrari, que anunciava evolução para o resto da temporada, persistiu nos erros e, nas últimas voltas, pediu para o brasileiro diminuir o ritmo para não ficar sem combustível. Massa foi ultrapassado por Vettel e Alonso no fim. Mesmo assim, somou seus primeiros pontos na temporada.

Com mais uma vitória, Button disparou na liderança do Mundial de Pilotos com 41 pontos, 14 a mais que Barrichello, que está em segundo lugar com 27. A terceira posição ficou com Mark Webber, que pôs a Red Bull no pódio pela terceira vez seguida. Sebastian Vettel, que chegou em quarto, somou 22 pontos e já ameaça Rubens na classificação.

Rubens largou bem e andou forte até tomar a estratégia errada. O brasileiro colocou pouco combustível no primeiro pit stop e foi para três paradas, dando vantagem estratégica ao inglês, que só foi duas vezes para os boxes.

Barrichello largou ao lado de Massa, e o piloto da Ferrari aproveitou a largada ruim de Vettel e atacou por dentro, usando o Kers para ganhar a terceira posição. Já o brasileiro da Brawn veio por fora e deixou o líder Button para trás logo na primeira curva.

Na largada, Massa ganhou uma posição, e Barrichello, duas. E, já na segunda curva, a bandeira amarela apareceu. Após uma confusão que começou com um toque de Alonso em Rosberg, Trulli atravessou a pista e foi atingido com violência por Sutil. Sobrou também para Bourdais e Buemi, os dois da Toro Rosso.

Na quarta volta, foi dada a relargada. Alonso, mais leve que Webber, veio com tudo para ganhar a quinta posição, mas o australiano soube se defender. Enquanto isso, Nelsinho Piquet era ultrapassado por Nelsinho na sexta volta. E Kovalainen deixava a prova com problemas. O mesmo aconteceu com o também finlandês Räikkönen na décima oitava volta.

Na ponta, Barrichello e Button protagonizavam um show da Brawn. Antes da primeira parada, os dois não pararam de brigar pela volta mais rápida, sempre se alternando. O inglês foi para os boxes primeiro, e ficou parado nove segundos.

O brasileiro parou em seguida, e ficou só seis segundos. Voltou mais leve que Button, e logo abriu vantagem de dez segundos. Na 31ª volta, Rubens teve que parar de novo para reabastecer, e caiu para a quarta posição, atrás de Vettel, Massa e Button. Na 48ª volta, Button parou e Rubens retomou a ponta.


Mas Barrichello antecipou sua terceira parada e voltou atrás de Button na segunda posição. Massa, que contava com a parada de Webber para ficar em posição de pódio, não saiu do quarto lugar, porque o australiano foi rápido em seu pit stop e retornou na frente do brasileiro.

No fim da prova, os pilotos da Red Bull ainda deram um cansaço nos brasileiros. Webber estava mais rápido que Barrichello e ameaçou o seu segundo lugar. Massa estava em posição ainda mais desconfortável. A Ferrari voltou a falhar na estratégia e avisou que não colocou combustível suficiente para Felipe andar em rimo forte, mas o brasileiro segurou o posto até o final.