O corintiano abraçou o time no dia 2 de dezembro de 2007. Após empate com o Grêmio, no Sul, a equipe chorava o rebaixamento e seu torcedor cantava: ?Eu nunca vou te abandonar?. O torcedor sofreu, suportou as piadas, a maratona de jogos pela Série B e neste domingo, às 16 horas, no Pacaembu, poderá dizer: ?O Coringão voltou?. Num duelo de campeões estaduais invictos, o Corinthians encara o Internacional.

Um time como o Corinthians, com sua torcida e o que representa no País, não pode ficar fora da elite. A Série A estava com saudade do Corinthians?, avaliou o volante Fabinho, que pode se despedir do clube. Depende de escalação do treinador Mano Menezes. ?Eu gostaria de fazer um último jogo diante dessa torcida que sempre me apoiou.

Fabinho está emprestado pelo Toulouse. Não renovará seu contrato e até já estuda propostas de outros clubes. Muitas no próprio País e para a divisão de elite. Como Mano vai usar uma equipe sem alguns titulares, ele mantém a esperança de um ?adeus? no campo.

Será um grande desafio para o time corintiano. O Internacional vem de conquista no Sul com média de três gols por partida.

Jogos duros desse nível era tudo o que não queríamos agora?, disse o treinador. ?Mas, se olharmos para o lado, todos são muito parecidos. Numa hora como essa não tem mais fácil ou mais difícil. A responsabilidade é de fazermos um bom jogo e mostrarmos respeito à nossa torcida?, observou. ?E vale lembrar que eles também têm um jogo na Copa do Brasil na quarta-feira e, como nós, estão pensando um pouquinho em cuidar do grupo?.


Dois jogadores entrarão em campo com ?desejo de vingança?: Felipe e Dentinho. Ambos estavam na campanha da queda e não aceitam até hoje a derrota do Internacional para o Goiás, na última derrota (o empate salvaria o time alvinegro). Dirigentes chegaram a dizer que os gaúchos entregaram o jogo.