O papa Bento XVI pediu neste domingo que os cristão do Oriente Médio perseverem em sua fé, a despeito dos infortúnios que ameaçam a existência de suas antigas comunidades.

Um público estimado em 20 mil pessoas lotou o estádio de Amã enquanto o papa celebrava a primeira missa a céu aberto de sua viagem pelo Oriente Médio.

"A comunidade católica aqui está profundamente tocada pelas dificuldades e incertezas que afetam as pessoas do Oriente Médio", disse o pontífice, falando em inglês. "Nunca se pode esquecer a grande dignidade que decorre de sua herança cristã, ou deixar de sentir a solidariedade amorosa de todos os irmãos e irmãs na igreja através do mundo", acrescentou.

Católicos de todo o Oriente Médio compareceram à cerimônia. Muitos agitavam bandeiras do Líbano, da Síria, do Iraque e de outros países. Eles aplaudiram as palavras do papa e gritaram seu nome.

A missa foi celebrada no terceiro dia da peregrinação de Bento XVI à Jordânia, Israel e aos territórios palestinos. O papa foi saudado em árabe no estádio pelo patriarca religioso latino de Jerusalém, o arcebispo Fouwad Twal. O patriarca lembrou que a Jordânia recebeu mais de 1 milhão de refugiados do Iraque desde o início da guerra, dos quais cerca de 40 mil são cristãos.

À tarde, Bento XVI deve viajar para Betânia, situada depois do Rio Jordão, e que foi onde João Batista batizou Jesus Cristo. As informações são da Associated Press.