Em clima de descontração e com muita informação para levar as suas respectivas cidades, cerca de 200 gestores e mediadores de leitura, responsáveis por bibliotecas em 89 municípios alagoanos, participaram ontem pela manhã do encerramento da capacitação promovida pela Secretaria de Estado da Cultura, na Casa Jorge de Lima, em Maceió.

“Conseguimos atingir nossos objetivos. Isso é gratificante. E o melhor: neste último dia,  os representantes dos municípios se reuniram em grupos e escolheram  cidades pólos para a realização de atividades integradas”, comemora Wilma Nóbrega, coordenadora do Sistema estadual de Bibliotecas Públicas de Alagoas.

Os pólos vão se concentrar em Arapiraca (Região Agreste); Cajueiro (Vales do Paraíba e Mundaú); Maragogi (Região Norte); Batalha (Bacia Leiteira); São Miguel dos Campos (Região Sul); Marechal Deodoro (Região Metropolitana) e Santana do Ipanema ( Sertão).

O secretário de Estado da Cultura, Osvaldo Viégas, acompanhou de perto o último dia de trabalhos, principalmente para ouvir os anseios dos profissionais do interior. “Além da capacitação em si, que foi riquíssima, sobretudo pela troca de experiências, também tivemos a oportunidade de ouvir os gestores com relação a avanços e dificuldades de cada município na área cultural”, destacou Viégas, que apresentou um vídeo institucional sobre a Caravana Cultural como exemplo positivo de parcerias firmadas entre a Secult e as Prefeituras, para garantir o acesso a bens e serviços culturais ao público do interior do estado.

Uma das reivindicações dos participantes, que terá o apoio da Secult, como garantiu o secretário Osvaldo Viégas, é que Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) incentive os prefeitos a investir em bibliotecas públicas, com abertura, estrutura, manutenção e conservação, bem como a continuidade das ações.  

Acessibilidade e Internet

Além das palestras e atividades mais diretamente ligadas à conservação de acervos,  os temas “Biblioteca Viva e Acessibilidade”, “Leitura para que te quero”, e “Para entender mais a Internet foram as que mais aguçaram a curiosidade  e atenção dos participantes.

A diretora da Biblioteca Pública Estadual, Maria Luiza Russo, uma das instrutoras da capacitação, lembrou que o mundo do trabalho tem mudado radicalmente nos últimos vinte anos e cada vez mais a tecnologia tem oferecido uma mobilidade quase infinita . “Muitas vezes as pessoas não sabem que o MSN, os blogs e outros programas podem ajudar no dia a dia das bibliotecas. explica Luiza sobre as facilidades dos leitores terem contato com os autores das obras nos dias de hoje, com a imensidão de blogs de escritores de notoriedade”, destacou .

“Ficamos longe e temos que nos virar como podemos. A grande maioria não possui um curso superior de biblioteconomia e tem apenas o aprendizado da vivência ao lado dos livros. Eu, por exemplo, sou pedagoga e dona de casa”, afirmou a coordenadora da Biblioteca Pública Municipal Breno Accioli, de Santana do Ipanema, a Sandra Sobreira, que já atua há sete anos na biblioteca e durante todo esse tempo só participou de duas capacitações. “Temos muito carinho com os livros e eu vim para cá com a cara e a coragem. Sei que estou ganhando muito”, conclui.

Para o professor Elias Barbosa Experiências novas e que trazem um engrandecimento profissional incalculável”, disse o professor Elias Barbosa, um dos palestrantes do evento e que mostrou as novas técnicas de conservação bibliotecária.

“Estou gostando muito das palestras e das dinâmicas. Para nós que trabalhamos diretamente com os livros, é muito importante ter uma noção exata de conservação e de cadastro”, explicou Rosângela Soares, que atua na Fundação Teotônio Vilela.