Em virtude das fortes chuvas que atingem o Maranhão, o Ministério da Saúde autorizou ontem o envio ainda esta semana de um carregamento com 265 mil unidades de 15 tipos de medicamentos. Os insumos serão usados para tratar as vítimas das cheias que atingiram a região nos últimos dias.

O Maranhão está em situação de emergência. O governo do Estado pediu ajuda do governo e da Defesa Civil Nacional. Cerca de 137 mil pessoas foram atingidas pelas chuvas e pelo menos 50 mil tiveram que abandonar suas casas.

 

No pacote de doações do ministério constam: paracetamol, seringa descartável, atadura de crepom e esparadrapo impermeável, entre outros. Os medicamentos serão transportados por meio de transporte aéreo por conta da urgência da entrega.

 

O ministro José Gomes Temporão foi informado sobre a situação no Maranhão. Segundo ele, o Ministério da Saúde está preparado para oferecer a ajuda humanitária necessária para atender situações deste tipo. No entanto, ele faz um alerta à população. "A questão preocupante são as doenças que vêm depois que as águas baixam. A dificuldade de acesso a água com qualidade pode causar problemas intestinais, diarréia, leptospirose. A única prevenção é evitar o contato com a água contaminada", salientou.

 

As chuvas que atingem as regiões Norte e Nordeste do Brasil já afetaram mais de 585 mil pessoas em seis Estados. Várias pessoas tiveram que deixar suas casas e comunidades ficaram isoladas com as cheias.

 

Segundo a Defesa Civil do Ceará, 26 mil pessoas ficaram desabrigadas ou desalojadas no Estado. Pelo menos sete pessoas morreram e 112 ficaram feridas.

 

No Piauí, mais de 41 mil pessoas foram atingidas pelas chuvas, ficando desabrigadas ou desalojadas. Cerca de 70 municípios estão com estradas cortadas e povoados sem comunicação.

 

No Maranhão, o número de pessoas atingidas pelas chuvas chega a 137 mil, sendo que 50 mil tiveram que deixar suas casas. Segundo a Defesa Civil, seis pessoas morreram por causa das enchentes. Ao todo, 29 municípios maranhenses estão em situação de emergência.

 

No Rio Grande do Norte, subiu para 13 o número de municípios em emergência devido às inundações. Na sexta-feira, as cidades de Porto do Mangue e São Rafael decretaram o estado emergencial.

 

Em Salvador, na Bahia, um deslizamento de terra provocou a morte de três homens nessa terça-feira. Eles estavam em uma casa, no bairro Pirajá, um dos que mais sofreu as conseqüências da chuva que atingiu a cidade.

 

No Estado do Pará, 160 mil pessoas (32 mil famílias) foram afetadas pelas chuvas. As regiões mais atingidas pelas cheias, segundo o governo do Estado, são o Baixo Amazonas e Tapajós, onde o nível do rio já está a 8,5 m acima do nível normal e 550 famílias estão desalojadas. A região de influência dos rios Araguaia e Tocantins também foi afetada, e em Marabá 346 famílias estão desalojadas.

 

As fortes chuvas atingiram ainda 41 municípios do Amazonas. Desses, 38 foram considerados como prioritários pela situação em que se encontram 33,9 mil famílias, totalizando 184.175 pessoas afetadas.