O Ministério da Saúde informou ontem (5) que o número de pessoas no Brasil com suspeita de ter contraído a gripe suína subiu de 25 para 28. Os casos suspeitos estão sendo investigados em 10 estados e no Distrito Federal: São Paulo (12), Minas Gerais (3), Rio de Janeiro (2), Santa Catarina (2), Tocantins (2), Distrito Federal (2), Mato Grosso do Sul (1), Goiás (1), Paraíba (1), Pernambuco (1) e Rondônia (1).

 

De acordo com o boletim, outros 28 casos estão sendo monitorados pelo ministério em 20 estados. O órgão também informou que 73 casos que estavam sendo monitorados foram descartados – sendo os maiores números em São Paulo (26) e no Paraná (9). Até segunda-feira (4), o Brasil tinha 25 pacientes com suspeita de estar com o vírus Influenza A (H1N1). Até esta tarde, nenhum caso foi confirmado no Brasil.

 

Segundo o Ministério da Saúde, os números divulgados nesta tarde referem-se a informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde até as 9h30 desta terça-feira. O próximo boletim deve ser divulgado somente na quarta-feira (6) à tarde.

 

O ministério reitera a recomendação para que a população não tome medicamentos por conta própria. “A automedicação pode mascarar ou atenuar sintomas, além de provocar resistência ao medicamento específico para influenza”, destaca trecho do boletim.

 

O governo também informa que intensificou a campanha de prevenção. No fim de semana, encaminhou para distribuição 500 mil folders com informações sobre a Influenza A (H1N1) em três línguas (português, inglês e espanhol). O material já está sendo distribuído em 46 aeroportos brasileiros.

 

Na segunda-feira (4), o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Gerson Penna, anunciou um crédito adicional de R$ 141 milhões para intensificar as ações de prevenção à nova gripe. A maior parte da verba deverá ser usada para publicidade e também para a instalação de “salas de situação” nos portos do país.

 

No último sábado (2), o ministério alertou que o Gabinete Permanente de Emergências alterou os critérios para a definição de caso suspeito, a fim de ampliar a vigilância da circulação do vírus no país. De acordo com os novos critérios, passam a ser consideradas suspeitas as pessoas que estiveram em qualquer área dos países que confirmaram casos e que apresentem sintomas do Influenza A, e também as que tenham tido contato próximo com pessoas infectadas.

 

Até sexta (1), eram destacadas como possíveis suspeitas apenas as pessoas que vinham de áreas ou estados afetados dentro desses países com casos já confirmados da doença. Segundo nota divulgada à imprensa, a mudança ocorreu a partir da ampliação do número de países com confirmações de casos da doença e, ainda, o aumento de áreas afetadas pelo vírus dentro dos países.

 

O número de casos da nova gripe em todo o mundo atinge 1.419 nesta terça-feira, com 30 mortes, segundo balanço divulgado no início da tarde pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

As mortes ocorreram no México (29) e nos EUA (1). A OMS ainda não detalhou a localização dos novos casos.

 

Segundo o relatório anterior, de 6h GMT (3h de Brasília), eram 1.124 casos confirmados em 21 países e 26 mortes.

 

A OMS assegura que não há risco de infecção pelo consumo de carne de porco bem cozida ou de produtos provenientes do animal. A organização insiste também para que as pessoas reforcem as medidas de higiene pessoal, especialmente lavar as mãos frequentemente com sabão.