BRASÍLIA - O relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Escutas Telefônicas Clandestinas será discutido e nesta terça-feira,5, às 14h30, no plenário 6 da Câmara dos Deputados. Os integrantes da comissão vão analisar o relatório apresentado pelo deputado Nelson Pellegrino (PT-BA) e três votos em separado - do PSOL, de seis deputados do PSDB e do PPS, e do presidente da comissão, deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ).

Itagiba deve definir o nome do novo relator, uma vez que Pellegrino vai se licenciar do mandato para assumir a Secretaria de Justiça da Bahia. Pellegrino sugeriu a deputada Iriny Lopes (PT-ES) para substituí-lo no cargo.

 Na semana passada, o presidente da CPI, Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), disse que  vai propor o indiciamento do banqueiro Daniel Dantas, desta vez pela realização de grampos ilegais na disputa societária com a Telecom Itália. Itagiba deve apresentar um voto em separado para incluir não apenas a proposta de indiciamento de Dantas, mas também do delegado Protógenes Queiroz, do ex-diretor da PF e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) Paulo Lacerda e do ex-diretor-adjunto da Abin José Milton Campana.

O voto em separado de Itagiba foi motivado pela ausência dos pedidos de indiciamentos no relatório oficial da CPI, apresentado pelo relator da comissão, deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), em abril. Em 394 páginas, Pellegrino propôs o indiciamento de apenas quatro personagens periféricos, deixando de fora os principais investigados pela comissão.