O período de chuvas intensas prejudica a Região Nordeste. No Piauí, 19 municípios foram atingidos pelas chuvas, sendo que 14 decretaram situação de emergência. De acordo com a Defesa Civil do Estado, cerca de 5,2 mil famílias estão desabrigadas. No Ceará, quatro pessoas morreram e 88 ficaram feridas devido aos alagamentos.

 

Segundo o coordenador de logística da Defesa Civil, Dorival Danunzio, a situação é mais grave em Teresina, pois a vazante do Rio Poti subiu 7 m e inundou alguns bairros. "A ponte que liga o centro a alguns bairros está interditada e causando um grande tumulto, porque a água tomou a pista", disse Danunzio. Na terça-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o governador do Piauí, Wellington Dias, vão sobrevoar a cidade de Teresina, para observar os estragos provocados pelos alagamentos.

 

No município piauiense de Santa Cruz dos Milagres, mais de 5 mil romeiros ficaram ilhados por causa das estradas alagadas. A Defesa Civil toma as providências para retirá-los do local. De acordo com Danunzio, em todo o Estado, as famílias atingidas estão sendo atendidas em abrigos e recebem alimentos e medicamentos. "A Defesa Civil tem mais 4 mil cestas com travesseiros, cobertores, mosqueteiros, filtros, entre outros, no estoque", disse o coordenador.

 

No Ceará, mais de 107 mil pessoas foram atingidas pelas enchentes. O Estado contabiliza 5.892 desabrigados e 12.712 pessoas estão alojadas em casas de parentes ou amigos. A Defesa Civil do Ceará informou que 52 municípios foram atingidos e desses, quatro decretaram situação de emergência - Uruburetama, Milhã, Itapajé e Cedro. A Região Norte é a que mais sofre com a intensidade das chuvas.

 

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas devem continuar até o final da semana, principalmente nos estados do Maranhão, Piauí e Ceará.