Mais de 130 mil pessoas estão sofrendo as consequências das enchentes no Maranhão.

 

Nos municípios de Trizidela do Vale (MA) e Pedreiras (MA), soldados do Exército estão retirando moradores que insistem em ficar nas casas, apesar da enchente.

 

A estrada de ferro que liga São Luís a Parauapebas, no Pará, foi interditada ontem (4) por causa de um deslizamento de terra.

 

No Maranhão, seis rodovias federais têm crateras abertas pelas chuvas. A situação mais grave é na BR-316, onde caminhoneiros estão parados há 8 dias.

 

A previsão era que a estrada fosse liberada no fim de semana para a circulação de veículos leves, mas a chuva forte de sábado (2) aumento o volume do rio e a água levou todo o aterro. O trabalho será refeito e não há previsão para a pista ser liberada.

 

As lanchas do Exército são as únicas alternativas para atravessar os rios.

 

O ministro da Integração Nacional, Gedel Vieira Lima, fez uma reunião ontem, em São Luís, com a governadora Roseana Sarney e prefeitos de 40 municípios atingidos.

 

“Nós precisamos de medicamentos, nós precisamos de cestas básicas, nós precisamos de barracas para alojar as pessoas que estão desabrigadas e também de água potável. A maioria dos sistemas de água está submerso”, disse a governadora.