Foram divulgadas neste domingo (25) as animações premiadas do Festival Anima Mundi, na sua versão carioca. O evento, que teve recorde de inscrições, levou às telas mais de 450 filmes, de diversos estilos, técnicas e nacionalidades. Segundo os organizadores, essa 18ª edição da festa também teve recorde de público: 70 mil espectadores, 30% a mais do que a edição de 2009.

A animação em stop motion “Eu queria ser um monstro”, de Marão, foi o melhor curta brasileiro, no júri popular. “Imagine uma menina com cabelos de Brasil...”, de Alexandre Bersot, ficou em segundo lugar e “Pombinha branca”, de Fernando Augusto Dias da Silva, em terceiro.


O espanhol “La Dama y la Muerte”, de Javier Recio Gracia, levou na categoria melhor curta estrangeiro no júri popular. O alemão e fofo “Der Kleine und das Biest”, de Johannes Weiland e Uwe Heidschötter, foi o segundo colocado e o francês vencedor do Oscar “Logorama”, de François Alaux, Hervé de Crécy e Ludovic Houplain, o terceiro.

Pelo júri profissional, o italiano (e violento) “Videogioco a loop experiment”, de Donato Sansone, ganhou como melhor curta e “Der Kleine und das Biest”, novamente, ganhou como roteiro.

“Mary e Max - Uma amizade diferente”, do australiano Adam Elliot ganhou como melhor longa estrangeiro. Não houve longas nacionais concorrendo. Veja o restante dos premiados aqui.

A versão paulista do evento começa dia 28 de julho e vai até 1º de agosto.