Um dos poucos projetos em Alagoas voltados à música instrumental retorna ao palco do Teatro de Arena Sérgio Cardoso no próximo dia 22 (quinta-feira) em sua terceira edição, e já no início presta uma justa homenagem a um dos maiores músicos do estado: Beto Batera, falecido em maio passado.

Realizado pela Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (Diteal), que administra os Teatros Deodoro e de Arena Sérgio Cardoso, o Instrumental no Arena deste ano será marcado pela variedade das apresentações, cinco no total, e acontecerá sempre na primeira quinta-feira de cada mês, com exceção do show de abertura, que será no dia 22. Os ingressos custam R$ 5,00 e R$ 10,00 e a bilheteria é revertida totalmente para o grupo ou artista participante.

O show, com o título de “Bate Batera” reunirá diversos nomes da música alagoana, sob a direção artística do guitarrista Geraldo Benson, amigo de longa data do homenageado. “A base será feita pela Powerjazz, composta por mim, Marcius Campelo, na bateria, Van Silva, no baixo e Antonio do Carmos, no teclado, que nos revezaremos no palco com outros convidados”, explicou Benson.

Além da Power Jazz haverá participação dos bateristas Ítalo e Téo; Everaldo Borges, Danúbio Lacerda e do trompetista Edson.

Alguns dos destaques do projeto serão o prodígio da música alagoana, o jovem de 13 anos de idade, Nicholas Silva, além de dois dos maiores guitarristas do país, os alagoanos Zé Barros & Toni Augusto, e o som afro do grupo Coletivo Afro-Caeté

Beto Batera

Conhecido e admirado pela personalidade forte e despojamento, Beto não seguia à risca convenções sociais, sua única regra era tocar bateria apaixonadamente. "Beto esteve entre nós para dar exemplo de amor e dedicação à música instrumental. Não fazia média para agradar ninguém, conquistava a todos pela música", lembra Mácleim, cantor e compositor.

De acordo com ele, nas décadas de 70 e 80 Batera ganhou projeção nacional ao fazer parte das bandas de gente de peso, como Djavan, Roberto Carlos, Moacir Franco e Waldick Soriano. "De volta a Maceió, foi o primeiro artista a chamar atenção para a formação de bandas dedicadas, exclusivamente, à música instrumental. Fundou o MCZ e muitos outros grupos. Foi um músico sensacional", testemunha Mácleim.

 

Programação:

22/07 – Abertura com show “Bate Batera”, em homenagem a Beto Batera;

5/08 - Violão em Chamas, com Nicolas Silva;

2/09 – Dueto de Mestres, com Zé Barros e Toni Augusto;

7/10 – Chorar Simplesmente, com Robson Amorim;

4/11 – Afro-Caeté Instrumental: uma batida entre sopros e cordas, com Coletivo Afro-Caeté

2/12 – Bem vindo à sua imaginação , com a banda Projeto Sonho

Serviço:

Projeto Instrumental no Arena

Abertura: Quinta, 22 de julho, com o show “Bate Batera”

Horário: 19:30h

Ingressos à venda na bilheteria do teatro e com os músicos: R$ 5,00 e R$ 10,00

Maiores informações: (82) 3315-5665