O deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP) considerou ontem absurdas as declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o uso indiscriminado da cota de passagens aéreas recebidas pelos deputados federais. Para Lula, essa discussão é uma "hipocrisia". O presidente da República admitiu ainda que, quando era deputado (entre 1987 e 1991), usou a cota de passagens da Câmara para levar sindicalistas a Brasília. Lula não acha correto, no entanto, o uso dos bilhetes para turismo.

"A prática do presidente Lula é de banalizar a ética. Com essas declarações, ele está dizendo que ética é hipocrisia e todo mundo deve se locupletar", afirmou. Em sua avaliação, o presidente da República não sabe "separar o público do privado". "Ele (Lula) não tem noção de defender a correção no uso de recursos públicos. Ele é um mau exemplo de prática republicana", disse Madeira.

O tucano condenou o fato de o presidente Lula ter usado sua cota para levar sindicalistas a Brasília. "Parlamentares darem passagens para sindicatos é errado, é uma transgressão."

A maioria dos deputados, no entanto, usou sua cota com terceiros. Segundo o site Congresso em Foco, 261 deputados usaram as passagens em viagens ao exterior, entre janeiro de 2007 e outubro de 2008.

Para o presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), Lula está "coberto de razão". "Não vejo problema nenhum quando um deputado traz para Brasília, com passagens pagas pela Câmara, sindicalistas ou pessoas relacionadas ao exercício de seu mandato", comentou.