Diferentemente de outras casas legislativas, como a Assembleia Legislativa da Paraíba e a Câmara de João Pessoa, a Câmara dos Deputados publica no site www.camara.gov.br, no link transparência, como o parlamentar está utilizando mês a mês a verba indenizatória. A informação dos dados impedem que parlamentares cometam mais abusos, já que ele sabe que os gastos podem ser monitorados pelos cidadãos comuns.

Apasar da relativa transparência nos gastos publicos , 261 deputados federais do país se envolveram recentemente com a farra das passagens aéreas fornecidas a familiares, amigos e até vendidas a agências de viagens, causando um prejuízo de R$ 4.765.946,91 para os cofres públicos.

O escândalo envolveu os deputados paraibanos Marcondes Gadelha (PSB) com 12 voos para o exterior, deputado Armando Abílio (PTB) com 7 voos, seguido de Vital do Rego Filho (PMDB) e Damião Feliciano (PDT), 4 cada, Efraim Filho (DEM) e o ex-deputado Ronaldo Cunha Lima (PSDB), ambos com duas viagens, e o deputado Manoel Júnior com uma viagem. 

O fato acabou levando o presidente da Câmara Federal, deputado Michel Temer (PMDB), a restringir o uso das passagens aéreas ao parlamentar e assessores de gabinete. O valor da cota mensal para o deslocamento dos parlamentares também cairá de R$ 15.348 para R$ 12.279.