A CPI dos Grampos decidiu nesta quinta-feira (26) por uma nova convocação do banqueiro Daniel Dantas, que foi preso na Operação Satiagraha da Polícia Federal. O juiz Fausto de Sanctis, que condenou Dantas em primeiro julgamento, também foi convocado pela comissão.

Para justificar a nova convocação de Dantas, o autor do requerimento, Raul Jungmann (PPS-PE), afirma que nas investigações do vazamento da Satiagraha, que tem como foco a atuação do delegado Protógenes Queiroz, traria novos elementos em relação a Dantas. Em primeiro depoimento à comissão, o banqueiro, protegido por hábeas corpus, negou ter realizado qualquer escuta telefônica clandestina.

No caso do juiz, a intenção da CPI é obter informações sobre a Satiagraha. Ele negou à comissão acesso aos autos. Autor de um dos requerimentos para convocar o juiz, Pompeo de Mattos (PP-RS) diz que a intenção é apurar supostas irregularidades na investigação, como a participação de servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) na Satiagraha. De Sanctis também já compareceu à comissão, mas não revelou detalhes do processo, que está protegido por sigilo.

A comissão convidou ainda três procuradores relacionados à Operação Satiagraha. O Ministério Público foi contrário ao cumprimento de alguns dos mandados de busca e apreensão pedidos pela Polícia Federal, entre eles o expedido contra Protogénes. Foram convidados Roberto Dassié Diana, Fabio Elizeu Gaspar e Lisiane Braecher.