Chegou agora há pouco na sede da Polícia Federal o oficial de justiça com alvará de soltura do deputado afastado Cícero Ferro. A qualquer momento Cícero Ferro deve deixar a carceragem da PF e se dirigir a sessão da Assembleia Legislativa. O advogado do deputado Welton Roberto também já está na superintendência.

Pela manhã, o genro do parlamentar levou um terno azul, que deve ser usado pelo deputado durante sessão de hoje da Assembleia Legislativa. O pedido foi feito pelo próprio Cícero Ferro.

Ferro foi preso acusado de homicídio qualificado do vereador por Delmiro Gouveia, Fernando Aldo, ocorrido em outubro de 2007. O deputado foi flagrado em escutas telefônicas autorizadas pela Justiça combinando o crime com os supostos assassinos. O parlamentar também é acusado de formação de quadrilha.

A prisão de Ferro partiu de uma solicitação do Grupo Estadual de Combate às Organizações Crimonosas e acatada pela 17ª Vara Criminal de Maceió.

O deputado, que não resistiu a prisão, estava em sua residência, no condomínio de luxo, Aldebaran. Cícero Ferro foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) para realizar exame de corpo de delito e disse não saber o motivo da prisão. Ferro chegou a declarar que seria solto pelo STF na segunda-feira

A presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargadora Elizabeth Carvalho, negou um habeas corpus a Ferro. Na decisão, a desembargadora explicou que o parlamentar afastado cometeu um crime gravíssimo e que o fato dele estar solto traria riscos a sociedade.