Lula reafirma que Dilma é a sua candidata para sucessão em 2010

Em sua primeira aparição pública após a notícia de que a ministra Dilma Rousseff está se tratando de um câncer no sistema linfático, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva empenhou-se ontem em demonstrar que a chefe da Casa Civil continua a sua favorita para a corrida presidencial de 2010. Ao cumprir uma extensa agenda em Manaus, ao lado de Dilma, Lula disse não ver motivos para que ela se afaste do trabalho, já que a equipe médica deixou claro que o tumor foi removido. "Na verdade, a companheira Dilma não tem mais nada, segundo os próprios médicos falaram. O que ela tem de fazer agora é um tratamento preventivo", disse o presidente, logo após visitar o terminal hidroviário São Raimundo, o segundo de seis compromissos que teve na capital amazonense. "Eu já disse publicamente que a Dilma é minha candidata", declarou Lula, ponderando em seguida que sua preferência pela ministra não é a única condição para que ela seja a escolhida. "Eu não sou partido. Ela tem de passar pelo partido, pela base aliada, por uma discussão."

Sorridente, ministra diz se sentir bem

O primeiro dia útil da ministra-chefe da Casa Civil desde o anúncio da descoberta do câncer linfático foi repleto de atividades, com direito a pé no barro e entrevistas tumultuadas. "Calma, este não é meu primeiro dia de trabalho", brincou Dilma, diante da ansiedade dos jornalistas que acompanharam sua visita a Manaus, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Era apenas o segundo de seis eventos em que ambos compareceriam até o fim do dia. "Eu me sinto da mesma forma como me sentia ontem, anteontem", prosseguiu a ministra, assegurando que não teve até o momento nenhum sintoma da doença que lhe tirasse a disposição. "Obviamente, nenhum de nós é super-homem ou supermulher. Mas não posso faltar com a verdade. Não há nenhuma alteração."

Cabral rejeita plano B: 'Oportunistas não terão vez'

Não é hora de procurar plano B, avalia o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), referindo-se ao anúncio de que a pré-candidata do PT à Presidência, ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), será submetida a quimioterapia para combater um câncer linfático. Para Cabral, nada muda na articulação da aliança PT-PMDB. Um dos cotados para ocupar a vaga de vice na eventual chapa de Dilma, Cabral sugere que o apetite por alternativas seja contido nos próximos meses. Em entrevista ao Estado, ele não quis conjecturar possibilidades. "Os oportunistas não terão vez", afirmou Cabral, que disse acreditar na rápida recuperação de Dilma. "Os espertos da política e as células cancerígenas serão derrotados pelos médicos e pela forte aliança PMDB-PT." Aliado do presidente Lula, o governador disse que vai continuar defendendo no PMDB a aliança nacional com o PT. Cabo eleitoral assumido de Dilma, ele avaliou como acertada a decisão da ministra de dar transparência ao tratamento. Para Cabral, isso pode ajudar sua imagem pública.

Serra evita comentar doença

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse ontem que considera "desrespeitoso" misturar a doença da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, com a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Tanto Serra quanto Dilma - que revelou no sábado estar em tratamento médico por causa da ocorrência de um linfoma - são pré-candidatos à sucessão presidencial em 2010. "Acho até desrespeitoso misturar a doença da ministra Dilma com a eleição. Já desejei a ela pronto e definitivo restabelecimento. Especular de eleição com doença não é apropriado de minha parte", disse Serra, em Ribeirão Preto (SP).

Itamar avalia convite para entrar no PPS

O ex-presidente Itamar Franco (sem partido) estuda um convite para se filiar ao PPS e seu nome já vem sendo apontado como uma possível carta na manga da oposição para tentar unir os dois maiores colégios eleitorais do País na eleição presidencial de 2010. Reservadamente, tucanos paulistas passaram a cogitar Itamar, ex-governador de Minas, como candidato a vice numa eventual chapa encabeçada pelo governador José Serra (SP). A hipótese seria uma alternativa à proposta de chapa "puro-sangue", até então rechaçada pelo governador mineiro Aécio Neves, também pré-candidato do PSDB ao Planalto.

Promotores pedem para arquivar 3 processos

Dos 29 procedimentos abertos no ano passado pelo Ministério Público do Estado de São Paulo para investigar supostas irregularidades em negócios entre a multinacional francesa Alstom e o governo paulista, três já tiveram pedido de arquivamento feito pela Promotoria de Justiça e Cidadania. Os argumentos dos promotores Eduardo Rheigantz e Sérgio Turra Sobrane são a falta de provas ou não-existência de irregularidades nos contratos. Uma ação investigava irregularidade de contrato entre a Alstom e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Outro apurava irregularidade na contratação da Alstom, sem licitação, para prestar serviços à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O terceiro investigava ilegalidade no contrato para prestação de serviços para usina hidrelétrica Engenheiro Souza Dias, em Jupiá, da Companhia Energética de São Paulo (Cesp).

Câmara recua e fim da farra das passagens pode sair por decreto

Para evitar uma derrota em plenário, o comando da Câmara deve tomar a iniciativa de impor por decreto a moralização do uso de passagens aéreas pelos deputados. Um acordo articulado no fim de semana pelo presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), líderes partidários e outros integrantes da Mesa Diretora pretende encerrar hoje a discussão sobre cotas de passagens sem levar a votação o projeto que fixa regras mais rígidas para o benefício. O objetivo é evitar o desgaste político causado por uma possível mudança no texto que afrouxe as novas normas. Ao mesmo tempo, uma decisão da Mesa não exporia os deputados favoráveis, por exemplo, à possibilidade de cônjuges e filhos dependentes continuarem viajando com recursos da Câmara. Segundo um dos articuladores, foi posta em prática a "política do risco zero": proteger as bancadas e dar o caso por encerrado sem aumentar o desgaste, que seria inevitável no caso de qualquer flexibilização das regras propostas.

Senado investigará denúncia contra ex-diretor

O Senado instaurou ontem sindicância para apurar denúncia de que o ex-diretor de Recursos Humanos José Carlos Zoghbi criou três prestadoras de serviços de fachada - em nome de Maria Izabel Gomes, de 83 anos - para receber irregularmente de empresas que faziam negócios com a Casa e de bancos que operavam crédito consignado. Maria Izabel foi ama de leite e babá de Zoghbi. Segundo a revista Época desta semana, as empresas em nome da babá faturaram pelo menos R$ 3 milhões em um ano e meio. Boa parte do dinheiro, cerca de R$ 2,3 milhões, teria sido repassada pelo Banco Cruzeiro do Sul. Em nota, o banco destacou a idoneidade e regularidade de todas as suas operações. Zoghbi não se manifestou. O ex-diretor perdeu o cargo após ter sido flagrado emprestando um apartamento funcional do Senado a um de seus filhos. O ato foi assinado pelo diretor-geral, Alexandre Gazineo.

Filha de FHC deixa gabinete de Heráclito

Filha do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a secretária parlamentar do senador Heráclito Fortes (DEM-PI), Luciana Cardoso, pediu demissão ontem. Ela ocupava cargo de confiança desde abril de 2003, com salário de R$ 7,6 mil. Em sua carta a Heráclito, ela alega desconforto com a notícia de que não dava expediente no Congresso. Em seu cargo atual, ela trabalhava em sua própria casa, cuidando de assuntos pessoais do senador. "Sempre me mantive retraída, cuidando de fazer meu trabalho nas condições usuais e sem alarde." Ao justificar a decisão de se demitir, ela diz que é "para evitar constrangimentos" a Heráclito, primeiro-secretário da Casa.

PF indicia Dantas por mais 6 crimes

A Polícia Federal indiciou ontem o banqueiro Daniel Dantas no inquérito Satiagraha. A PF imputou seis crimes ao controlador do grupo Opportunity: gestão fraudulenta de instituição financeira, concessão de empréstimos vedados pela Lei do Colarinho Branco, evasão de divisas, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e sonegação fiscal. Eram 7h40 quando Dantas chegou à PF para depor, acompanhado de seu advogado, o criminalista Andrei Zenkner Schmidt. Mas o banqueiro permaneceu em silêncio durante os 25 minutos em que ficou na sala do delegado Ricardo Saadi, que preside o inquérito. "Não há exercício de defesa com indiciamento já pronto", protestou Schmidt. A PF anunciou que já indiciou 13 investigados. O enquadramento de Dantas, condenado a 10 anos de prisão por suposto crime de corrupção ativa, tem base em investigação de 9 meses, acompanhada passo a passo pelo procurador da República Rodrigo de Grandis - a quem caberá oferecer denúncia penal.

Folha de S. Paulo

Lula reafirma apoio a Dilma, mas diz que depende da base

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem, em Manaus, que a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) é a sua candidata à Presidência da República em 2010, mas que a decisão sobre a candidatura depende da base aliada do PT. "Eu já disse publicamente que a Dilma é minha candidata. Agora, eu não sou o partido [PT]. Tem que passar pela base aliada, tem que passar por uma discussão", afirmou Lula. A declaração do presidente foi feita dois dias depois de a ministra anunciar que está se submetendo a um tratamento para combater um linfoma, um tipo de câncer.
Lula, que participou de inaugurações e vistorias de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) na capital do Amazonas, afirmou ainda que a prioridade da ministra agora é cuidar da saúde.

Tem que rezar, recomenda presidente a ministra

Ontem à noite, durante a inauguração de um conjunto habitacional em Manaus, que precisou ter o nome alterado às pressas por ser batizado com seu nome, o presidente Lula falou em discurso que a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, precisa "começar a rezar". "Olha na cara desse povo", disse o presidente, chamando a ministra. "Esse povo não perde a esperança nunca. Se você não rezava toda noite, você agora trate de começar a rezar. Porque esse povo vai precisar muito de você daqui para a frente e você vai ter que fazer muita coisa por esse povo."

Revelar doença foi "muito bom", diz ministra

Vestida com blusa e calça em tons de azul claro, maquiada e com um sorriso nos lábios, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, 61, acompanhou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Manaus e disse que achou "muito bom" ter anunciado sua doença em público. No último sábado, em entrevista coletiva em São Paulo, Dilma divulgou que está se submetendo a tratamento contra um linfoma, um tipo de câncer. Ontem, na parte da manhã, acompanhando as visitas de Lula a obras no Amazonas, ela posou para fotos ao lado de operários, deu autógrafo a uma operária e permaneceu sob sol forte durante 40 minutos.

Futura candidatura Dilma divide opiniões

Passado o impacto inicial, o anúncio de que a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, será submetida à quimioterapia para combater um câncer linfático produziu leituras bem diferentes no mundo político. Para alguns - aliados ou adversários -, a eventual candidatura da ministra à Presidência sofreria abalos com a doença. Mas, na opinião de outros, inclusive petistas, confirmado o prognóstico dos médicos, Dilma poderá ser beneficiada pela imagem de mulher forte, capaz de vencer adversidades.

Joaquim Barbosa autoriza perícias solicitadas por réus do mensalão

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa autorizou a realização de perícias pedidas por réus do mensalão, contrariando manifestação do Ministério Público Federal. O procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, vislumbrara abuso de defesa, pois os pedidos teriam o objetivo de "tumultuar e atrasar" a ação que tramita no STF. Na defesa prévia dos réus, oferecida depois do recebimento da denúncia, foram requeridas 16 diligências, cinco das quais solicitadas pelo empresário Marcos Valério. Também tiveram pedidos deferidos Delúbio Soares, Rogério Lanza Tolentino, Henrique Pizzolato, Antonio Lamas, Jacinto Lamas, Luiz Carlos da Silva e Paulo Roberto Galvão da Rocha.

Rádio Justiça estreia novela sobre grampos
 
Estreou ontem o primeiro capítulo da radionovela "Não Escuta, que Eu Grampo", a história de uma mulher que tenta descobrir se o marido a está traindo com a melhor amiga. O pano de fundo é a contratação de um detetive que se apresenta como Virgulino Teixeira, "conhecido no universo investigativo como araponga grampeado".
A radionovela é uma produção da rádio Justiça, emissora administrada pelo STF. A ideia, diz Madeleine Lacsko, coordenadora da rádio, é tratar temas jurídicos, direitos, deveres ou questões de cidadania de forma popular. No capítulo de ontem, o detetive diz que vai instalar escutas para descobrir porque Aderbal chega tarde em casa.
 
STJ dá início à digitalização de 450 mil processos para acelerar julgamentos

O STJ (Superior Tribunal de Justiça), segunda corte na hierarquia do Judiciário brasileiro, iniciou a eliminação total do papel nos seus procedimentos. A estimativa é a de que, até dezembro, o conteúdo de 450 mil ações tenha sido digitalizado. O número inclui o acervo de 250 mil processos que já estão sendo escaneados e 200 mil novas ações que devem chegar ao STJ até o final do ano.

Em novo recuo, Temer diz que cota aérea cairá sem votação

Com medo de uma derrota no plenário e com ampla articulação com líderes partidários, o presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), afirmou ontem que as limitações do uso de passagens agora devem ser feitas por ato da Mesa, instrumento administrativo que não precisa passar pelo aval dos deputados. O anúncio foi feito dois dias após a divulgação de um projeto de resolução, avalizado por Temer, que deveria ser colocado hoje na pauta de votação da Casa. A análise foi a de que o desgaste político seria muito grande caso fosse aprovada alguma emenda que permitisse que parentes usassem bilhetes. Temer se reúne hoje com líderes e deve alegar que a nova decisão é resultado de apelo dos partidos e de um entendimento dos deputados que antes criticaram as medidas.

Deputado pagou com verba indenizatória advogado que atuou em sua defesa no TSE

O deputado Geraldo Resende (PMDB-MS) utilizou a verba indenizatória da Câmara para pagar ao menos um dos advogados que atuaram na sua defesa em processo que enfrentou de perda de mandato no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o que contraria ato da Mesa Diretora da Casa que disciplina o tema. Resende foi acusado pelo PPS de infidelidade partidária e absolvido no mês passado. Os congressistas podem contratar advogados só para fazer consultoria para "fins de apoio à atividade parlamentar."

PF indicia Dantas e mais 5 do Opportunity

A Polícia Federal indiciou ontem o banqueiro Daniel Dantas por supostos crimes financeiros, lavagem e evasão de divisas e formação de quadrilha. Além de Dantas, também foram indiciados a irmã dele, Verônica, e quatro executivos do Opportunity -outros quatro deverão ser indiciados hoje. O banqueiro e os demais investigados dizem não existir provas dos crimes atribuídos a eles (leia mais nesta página). Dantas foi ontem, às 7h50, à sede da PF em São Paulo para depor, mas ficou calado por orientação da defesa. O mesmo procedimento foi adotado pelos demais executivos do grupo. O indiciamento foi no principal inquérito da Satiagraha, operação deflagrada em julho pela PF, que prendeu à época, além de Dantas, o investidor Naji Nahas e o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta -os dois últimos estão sendo investigados em inquérito paralelo.

Correio Braziliense

Planalto monta ação para blindar Dilma

O Palácio do Planalto desencadeou uma operação para conter os ataques especulativos à candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussseff, à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2010. O objetivo é demonstrar, com ações públicas, que o câncer linfático na axila foi completamente removido, que a quimioterapia eliminará a possibilidade de um novo tumor e que a capacidade gerencial da ministra não foi atingida. Nos bastidores, a maior preocupação era desfazer rumores de que Dilma havia quebrado a confiança do presidente Lula porque teria demorado a informá-lo sobre o resultado dos exames.

Agenda em ritmo de PAC

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reiterou apoio à sua candidata preferida à disputa pelo Palácio do Planalto em 2010. Lula e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, cumpriram ontem uma extenuante agenda em Manaus. Ao lado da ministra, tocadora do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Lula afirmou que, segundo os próprios médicos, a ministra “não tem mais nada”, numa referência ao tratamento contra um câncer linfático. Apesar da manifestação, o presidente disse que lançá-la ao Planalto não depende apenas do seu desejo. “Eu já disse publicamente que a Dilma é minha candidata. Agora, eu não sou o partido. Ela tem que passar pelo partido, tem que passar pela base aliada, tem que passar por uma discussão”, ressaltou. Segundo ele, o PT é quem dará a palavra final.

Canetada contra a farra

Depois de muito recuo e amplas chiadeiras políticas, a novela da farra das passagens aéreas deve acabar mesmo numa canetada da Mesa Diretora, e não mais em votação de um projeto de resolução pelo plenário. A decisão foi tomada após deputados defensores da permissão do uso por parentes desistirem da ideia. O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), oficializa a proposta em reunião com os líderes de governo e oposição hoje. O peemedebista disse que a unanimidade lhe dará respaldo para fazer as mudanças via ato da Mesa Diretora. A consulta informal com todas as lideranças sobre a proposta foi feita e o sinal verde está garantido. “Se todos os líderes estiverem de acordo, as regras serão feitas por ato da Mesa”, disse o presidente da Câmara.

R$ 11,5 milhões em 4.755 computadores

Carrinhos cheios de monitores e CPUs antigos marcados pelo tempo e pelo uso. É o sinal da “modernidade” chegando à Câmara dos Deputados. Ao custo de R$ 11,5 milhões, 4.755 máquinas de última geração serão instaladas nos gabinetes de deputados e servidores. Cada parlamentar está ganhando o direito de utilizar quatro computadores. O pregão eletrônico, vencido pela Lenovo no ano passado, ficou acima do teto estipulado pela Câmara. A previsão inicial era de um orçamento máximo de R$ 10,1 milhões. O valor superou o esperado porque uma das concorrentes argumentou que o aumento do dólar em decorrência da crise financeira internacional tornaria impossível atender às especificações do edital.

PF indicia Dantas e mais 11 em São Paulo

A Polícia Federal indiciou ontem o banqueiro Daniel Dantas e mais 11 pessoas no inquérito da Operação Satiagraha, ação deflagrada em julho do ano passado. O controlador do Banco Opportunity, que ficou em silêncio durante o depoimento na manhã desta segunda-feira na Superintendência da PF em São Paulo, foi indiciado pelos crimes de formação de quadrilha, evasão de divisas, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta e empréstimo vedado. O delegado Ricardo Saadi, que conduz as investigações depois do afastamento de Protógenes Queiroz, deve remeter o relatório final das apurações ao juiz da 6ª Vara Federal de São Paulo, Fausto Martin de Sanctis, até o final desta semana. O procurador da República que atua no caso, Rodrigo de Grandis, afirmou que “não há hipótese” de não oferecer denúncia no caso.

O Globo

Gripe se alastra no mundo e Brasil mostra despreparo

A Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou para 4 (numa escala até 6) o grau de alerta da epidemia de gripe suína originada no México. Ontem, o alastramento da doença para a Europa se confirmou. Ao menos 15 países registram casos suspeitos, inclusive o Brasil, com 11 pessoas. Nos EUA, o número de casos confirmados subiu para 47, e o governo recomendou que só em caso de "absoluta necessidade" se viaje ao México. A UE também pediu restrição a viagens. Segundo a OMS, o vírus da gripe é novo, e seriam necessários de quatro a seis meses para desenvolver uma vacina eficaz. Nos aeroportos brasileiros, viajantes que desembarcaram do México ontem, no quarto dia após o alerta da epidemia, queixaram-se da desinformação na chegada. Eles disseram que não foram abordados por agentes da Anvisa nem receberam folhetos. O governo anunciou que vai comprar 100 mil máscaras cirúrgicas. O presidente Lula fez o sinal da cruz ao contar que o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, informou-lhe, da Turquia, que não há casos da doença no Brasil. O medo de uma recessão maior por causa da gripe fez as bolsas caírem 2,04% em São Paulo e 0,64% em Nova York.

Lula leva doença de Dilma ao palanque

Em clima de campanha eleitoral, em que o pano de fundo era a doença da ministra Dilma Rousseff, o presidente Lula não teve problemas em levar ontem aos palanques o câncer de sua candidata a presidente. Num dia de vários eventos ao lado de Dilma, e após declarar que ela vai "enfiar a cabeça nesse PAC" para ajudar na sua cura, Lula ergueu a mão da ministra num palanque montado em Manaus e discursou: "Quero que você olhe para as pessoas porque a partir delas vem a força que você precisa. Esse povo vai precisar muito de você daqui para a frente." Em seguida, voltou-se para os eleitores e pediu: "Orem por ela." Mais cedo, Lula dissera que Dilma "não tem nada".

GM poderá passar ao controle do Estado

Em seu plano de reestruturação para evitar a concordata, a GM pediu mais US$ 11,6 bilhões ao governo dos EUA, e anunciou o fechamento de 16 fábricas e o corte de 23 mil funcionários no país. Além disso, propôs que o Tesouro americano e outros credores troquem parte da sua dívida por ações da empresa. Na prática, o governo assumiria o controle da companhia.
 
Satiagraha: PF indicia Dantas e mais cinco

O delegado da Polícia Federal Ricardo Saadi, responsável pelas investigações da Operação Satiagraha, indiciou o banqueiro Daniel Dantas e mais cinco funcionários do Opportunity por crimes financeiros, como evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

Acordo deve pôr fim à farra de passagens

Um acordo de líderes, que se reúnem hoje, deve evitar que seja levado ao plenário da Câmara o projeto restringindo o uso de passagens aéreas. Assim, passará a valer o ato da Mesa Diretora que proíbe, por exemplo, a emissão de passagens para parentes.

Brasileiro fica menos de 3 horas por dia na escola

Até os 17 anos de idade, o estudante brasileiro fica, em média, menos de três horas por dia na escola - embora a jornada determinada em lei seja de quatro horas e ainda esteja abaixo da ideal. Os dados são da Fundação Getulio Vargas. O estudo mostra que, de acordo com uma experiência realizada em São Paulo, o aumento de uma hora na jornada escolar melhorou em 25% o desempenho dos alunos. Na África do Sul, o tempo mínimo na escola é de seis horas.

Cassado curso para assentados

Uma liminar do presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, manteve suspenso o curso de veterinária criado para assentados do programa de reforma agrária. O curso, na Universidade Federal de Pelotas, foi considerado inconstitucional.

Jornal do Brasil

Brasil se prepara contra gripe suína


Panfletos nos aeroportos e internação de passageiros que chegarem ao Brasil com sintomas da gripe suína: é desta maneira que o Brasil planeja conter o avanço da doença que aparece em pelo menos cinco países. A Anvisa observa 11 pessoas que chegaram do México com sintomas de gripe, mas evita falar em "casos suspeitos". Com a confirmação do vírus H1N1 na Espanha e na Escócia, a OMS elevou o alerta para nível 4, o de transmissão entre humanos mas ainda não uma pandemia. E adverte: uma vacina deve demorar até seis meses. A já debilitada economia também sofre. Bolsas e commodities caíram.

Dilma está bem e é candidata, diz Lula

Ao comentar pela primeira vez o problema de saúde da chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou que ela é sua candidata à sucessão em 2010. Lula ponderou que a prioridade da ministra agora é cuidar da saúde e que a decisão sobre a candidatura ainda terá de passar pelo PT e seus aliados. "Dilma não tem mais nada e agora precisa fazer o tratamento para que não volte mais a ter a doença", disse Lula. Outros integrantes da cúpula do PT, como o presidente nacional do partido, Ricardo Berzoini, também reforçaram o apoio à candidatura de Dilma.
 
Atraso no Imposto de Renda pode levar à malha fina

Cerca de 7,5 milhões de contribuintes ainda não fizeram a declaração do Imposto de Renda. Terão até quinta-feira, mas correrão mais riscos, como erros no preenchimento e a falta de tempo para tirar dúvidas que surgem na última hora.