Em discurso a empresários do ramo de agronegócios, o governador de São Paulo, José Serra, criticou a postura do governo federal para conter a crise de crédito que afeta o setor e anunciou um seguro para agricultores nesta segunda-feira (27).

"O crédito continua travado por causa das taxas de juros altas. O governo federal agiu bem em algumas questões na redução de impostos, mas em matéria de política monetária, segue com a cabeça em outro planeta", afirmou o governador em discurso durante a abertura da 16ª edição da Agrishow, Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação.

Em outro momento, ele disse que a persistência da crise de crédito é "falha" do governo. Apesar da crítica, Serra afirmou que tem estado em contato com o governo federal para resolver problemas locais.

Sobre o seguro para a agricultura, Serra afirmou que a medida visa assegurar o rendimento do produtos. "É um seguro atrelado ao crédito de custeio que terá cerca de R$ 150 milhões. O seguro está sendo concluído pela assessoria jurídica", disse o governador.

Após o discurso do governador, o secretário estadual de agricultura afirmou que a intenção é que o governo estadual subsidie 50% do valor do prêmio do seguro e que o governo federal também subsidie 25%. Com isso, o produtor pagaria só 25% do prêmio do seguro. "Além da produção, vamos garantir também a renda", disse Sampaio Filho, que foi homenageado pela Agrishow e recebeu o prêmio das mãos de Serra.

Dois ministérios

Na abertura da Agrishow, Serra criticou a existência de dois ministérios para cuidar do mesmo tema, a agricultura. Ele afirmou que isso é um "erro que precisa ser reparado.

"Um atraso de vida que é termos dois ministérios cuidando da agricultura. Fico à vontade para falar disso porque foi na época do Fernando Henrique (a criação do Ministério da Reforma Agrária). Temos o Ministério da Agricultura e o da Reforma Agrária, não raramente com conflitos e dificulta a resolução dos problemas. Como se fossem ministérios de duas classes sociais."

Agrishow em Ribeirão

A prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera, discursou antes de Serra e falou da campanha que realizou para manter a feira na cidade - havia a possibilidade da mudança para a cidade vizinha de São Carlos. A prefeitura e o governo do Estado assinaram contrato para manter a feira na cidade até 2014.

"Depois de 2014 quero que a Agrishow permaneça aqui porque não existe Ribeirão sem Agrishow nem Agrishow sem Ribeirão."

Dilma

Questionado sobre a doença da ministra da Casa Chefe Civil, ele disse que não comentaria, mas que falou com Dilma e desejou a ela "pronto restabelecimento". "Eu acho desrespeito misturar a doença da ministra com eleição. Eu já desejei pronto restabelecimento e ponto final. Misturar seria inapropriado e desrespeitoso."

Serra e Dilma são dos dois candidatos mais cotados para a sucessão presidencial em 2010.