O número de mortos por gripe suína no México pode chegar a 103, anunciou o ministro da Saúde do país, Jose Angel Cordova, neste domingo (26) na TV.

Segundo o ministro, até o momento, as autoridades de saúde conseguiram confirmar oficialmente que 22 pessoas morreram em decorrência da gripe. Mas as suspeitas indicam que o número é bem maior.

O ministro afirmou também que 400 pessoas estão hospitalizadas e há cerca de 1600 casos suspeitos da doença.

Neste domingo, o Banco Mundial anunciou  que vai liberar US$ 205 milhões para o México combater a gripe. Dos US$ 205 milhões, US$ 25 milhões serão liberados de forma imediata enquanto os outros US$ 180 milhões chegarão ao país no médio prazo. O objetivo da liberação é também minimizar possíveis impactos econômicos da doença.

De acordo com o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, o surgimento da gripe suína deve ser considerado um “grande desastre para o México".

Estados Unidos e Canadá

A secretária de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Jannet Napolitano, disse que a saúde pública do país vive uma "situação de emergência" devido à propagação do vírus da gripe suína.

 

Napolitano fez esta declaração em um encontro com jornalistas na Casa Branca, onde o diretor interino do Centro de Controle de Doenças (CDC, em inglês), Richard Besser. Vinte casos de gripe suína foram confirmados nos Estados Unidos, depois que se confirmou a doença em estudantes de Nova York.


Além disso, seis casos foram confirmados no Canadá. "Estes casos são brandos. Todos aqueles que foram afetados estão se recuperando. Até este momento, não vemos casos graves como aqueles no México", disse Robert Strang, autoridade-chefe de saúde pública da província da Nova Escócia.