Entre 50 e 60 servidores do quadro efetivo da Assembleia Legislativa terão os salários suspensos já este mês. A informação é do primeiro secretário da Casa, deputado Jota Cavalcante (PDT). A medida foi tomada pela Mesa Diretora do Poder, após análise do relatório preliminar da auditoria feita na folha de pessoal e do recadastramento dos funcionários – ativos e inativos – realizados pela Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino, Tecnologia e Cultura (Fapetec).

De acordo com o primeiro secretário, foram cortados apenas os salários dos servidores que deixaram de atender ao chamado da Casa e não participaram do recadastramento. “Imaginamos que a partir de agora essas pessoas vão sentir a falta dos salários e devem procurar se explicar”, disse Jota Cavalcante, informando que as pessoas que forem atingidas pela medida, ainda podem recorrer da decisão. “Tanto que não iremos publicar a relação desses funcionários”, informou o primeiro secretário.

O próximo passo, segundo Jota Cavalcante, será abrir processos administrativos para que esses servidores irregulares sejam retirados definitivamente da folha de pessoal do Poder, caso não consigam se justificar. O primeiro secretário adiantou que pediu a Fapetec que mandasse um relatório preliminar da auditoria, com o objetivo de adotar algumas medidas.

Além de Jota Cavalcante, também estão analisando o teor do relatório parcial o procurador-geral da Casa, Marcelo Teixeira e pelo segundo secretário, deputado Marcelo Victor (PTB). “Nós estamos estudando esse material, para adotarmos algumas medidas, mas relatório final da auditoria deverá ser entregue pela Fapetec até o próximo dia 15 de abril”, informou.