A ex-secretária de uma mecânica de automóveis em Goiânia deve receber de seu antigo patrão indenização por danos morais, estéticos e materiais. Ela foi queimada com um ferro pelo gerente e teve o ombro marcado com as iniciais da empresa.

A empresa foi condenada a pagar à funcionária R$ 30 mil por danos morais, R$ 5 mil por danos estéticos e R$ 3 mil por danos materiais. Segundo a assessoria de imprensa do Tribunal Regional do Trabalho de Goiás, cabe recurso.

O juiz Platon Teixeira de Azevedo Neto, da 8ª Vara do Trabalho de Goiânia, considerou “bárbaro o ato praticado, que gerou danos físicos e psíquicos inegáveis à trabalhadora”.

Em sua sentença, o juiz relata que o gerente brincava com um ferro de marcar pneus e feriu a secretária nas costas, deixando duas letras no ombro esquerdo da vítima. Ainda de acordo com o processo, após ter ferido a funcionária, o gerente teria dito: “vaca se marca aqui”.

A empresa alegou que não era responsável pelo fato, afirmando que o ocorrido não tinha relação com a atividade comercial exercida. O juiz, entretanto, reconheceu a responsabilidade da oficina mecânica, pelo fato do gerente ter praticado o fato dentro do ambiente de trabalho.