A Secretaria de Direito Econômico (SDE) acolheu a solicitação da Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados e instaurou processo administrativo para investigar formação de cartel por empresas de fertilizantes.

 

As empresas Bunge Brasil, Mosaic e Yara Brasil, citadas na abertura do processo, têm prazo de 15 dias, após notificadas, para apresentar defesa.

 

Os indícios de cartel entre empresas de fertilizantes foram fortalecidos no primeiro semestre do ano passado quando o aumento dos preços desses produtos foram os principais responsáveis pela chamada “crise dos alimentos”.

 

Os produtos alimentícios subiram devido a aumentos de mais de 100% no valor dos fertilizantes, responsáveis por mais de 30% do custo da safra.

 

Quando produtos como o petróleo, matéria-prima de alguns fertilizantes e combustível usado no transporte dos insumos, sofreram desvalorização acentuada, os fertilizantes não apresentaram a mesma tendência.

 

Estudo realizado pelo Ministério da Agricultura e apresentado na semana passada pelo ministro Reinhold Stephanes aponta que as três principais empresas que atuam no mercado brasileiro têm participação em várias outras menores e acabam controlando praticamente todo o setor.