A Controladoria Geral da União (CGU) notificou a Agência Nacional do Petróleo (ANP) para apurar denúncias de supostas fraudes no pagamento de royalties de petróleo e de envolvimento do diretor da ANP, Victor Martins, em um esquema de desvio dos recursos provenientes do petróleo da Petrobras.

 

As suspeitas em torno do diretor Victor Martins, irmão do ministro da Secretaria de Comunicação da Presidência, Franklin Martins, dão conta de que ele teria acesso a informações privilegiadas para, por meio da Análise Consultoria, adquirir contratos com prefeituras e incluir ou aprovar royalties de petróleo.

 

Martins estaria envolvido em uma negociação para facilitar o pagamento de R$ 1,3 bilhão em royalties para um município em troca de uma comissão de R$ 260 mil à empresa de consultoria que tem como sócia sua mulher, Josenia Bourguignon Seabra.

 

Em nota, a CGU informa ter decidido aprofundar o exame da metodologia e da segurança do sistema de cálculo utilizado pela ANP para a definição do valor dos royalties. Com a notificação, a ANP terá de prestar esclarecimentos sobre a relação de Martins com a consultoria e da Análise Consultoria com a própria agência reguladora.

 

Quando surgiram as denúncias, o diretor informou estar afastado da consultoria desde maio de 2005, quando tomou posse na ANP. Victor Martins, garantiu também que todos os seus atos administrativos estão dentro da legalidade. "Estou sendo alvo de interesses que contrariei como diretor da ANP, agindo na defesa do Estado e da sociedade brasileira", afirmou Martins.