Enquanto os vereadores de Maceió iniciaram no plenário da Câmara Municipal a discussão sobre a questão da verba de gabinete a vereadora Heloisa Helena responsável pela denúncia sobre as irregularidades na forma do pagamento falou em entrevista ao programa Cidadania do radialista França Moura na Rádio Jornal.

De acordo com a vereadora que representou a Câmara Municipal na Conferência Municipal de Segurança  o fato da verba de gabinete dos vereadores, no valor de R$ 27 mil, estar sendo pago em um cheque nominal sacado pelo vereador diretamente no caixa contraria a lei de Improbidade Administrativa e o seu entendimento foi corroborado pelo promotor da Fazenda Pública Municipal Marcos Melro que convocou os integrantes para uma reunião, acontecida na última sexta-feira.

Heloísa lembrou que um de seus primeiros pronunciamentos na Casa foi sobre a questão da ilegalidade no pagamento da verba de gabinete e reiterou o pedido para que o Ministério Público instaure uma investigação sobre este pagamento. Ela foi a única dos 21 vereadores que  se recusou a ir ao banco para sacar esta verba de gabinete que deveria servir apenas para pagar serviços gráficos e despesas de gabinetes.

"A forma correta para se efetuar este pagamento é que a própria Câmara efetue os pagamentos necessários de cada vereador em cheque depois da análise da nota fiscal do serviço solicitado e não simplesmente sacar o dinheiro e gastar como quiser", explicou a vereadora dizendo que nenhum vereador pode sair do banco com 27 mil reais.

Ela disse ainda que apesar de ter levado a denúncia ao Ministério Público, muitos outros vereadores tinham a mesma preocupação. “O importante agora é resolver” disse ela na entrevista.

No plenário os vereadores Galba Novaes e Dudu Holanda, presidente da Câmara, explicaram que todas as providências já foram tomadas pela Mesa Diretora e que a partir deste mês uma nova forma de pagamento vai ser feita em consonância com o que foi acordado junto ao Ministério Público.