Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Após bem sucedidas participações no Festival do Rio 2009, no Festival de Búzios 2009, no 5º FestCine Goiânia e no 13º Festival de Cinema de Santa Maria da Feira, em Portugal, Histórias de Amor duram apenas 90 minutos terá pré-estreia em Maceió, no Corujão Sesi, próximo sábado (10).


O filme marca o debut de Paulo Halm, um dos mais conceituados roteiristas brasileiros, na direção de longa-metragem. Também pela primeira vez, o casal Caio Blat e Maria Ribeiro trabalha junto no cinema.
No enredo Blat é Zeca, um jovem escritor, vivendo a crise dos trintas anos, Já Maria vive Júlia, mulher independente e bem resolvida. Entre eles surge Carol, interpretada pela atriz argentina Luz Cipriota, que chega para desestabilizar a relação do casal. O ator Daniel Dantas completa o elenco, no papel do pai de Zeca, um homem crítico que mantém uma relação fria e distante com o filho. Hugo Carvana faz uma participação especial.

COMÉDIA, DRAMA, MÚSICA

Além do romance Histórias de Amor Duram 90 Minutos, dois outros filmes completam a programação do Corujão Sesi de abril. Com a chancela do festival de Veneza, onde foi ovacionada e recebeu o Prêmio Especial do Júri, a comédia Soul Kitchen apresenta uma Alemanha multicultural a partir do ponto de vista de um dono de um restaurante (o Soul Kitchen do título) que larga tudo para procurar a namorada.


Encerrando a maratona cinematográfica, o drama O Visitante tem como protagonista um professor solitário que, após um encontro inusitado com um casal, volta a descobrir o prazer pela vida.
/v/jC1CxN_61kw&hl=pt_BR&fs=1&"> Muito bem recebida pelo público na edição anterior do Corujão, a dupla Coelho DJ e Glauber X volta a comandar a animação nos intervalos, com um repertório que mescla pop, samba, rock e outros estilos. Mais uma vez, não faltam ingredientes para uma madrugada repleta de cultura e diversão.

 

 

 

 

 

ENTREVISTA
Casal fala sobre a experiência de
trabalhar no filme


PERGUNTA: Como é o Zeca – personagem de Caio?

Maria - Zeca é aquele tipo de pessoa que passa a vida em relacionamentos de dois anos. Pode até ser pai, mas nunca vai deixar de ser filho.

Caio - Muitas pessoas pensam que é melhor ser uma promessa do que ser um fracasso. Zeca é esse tipo de pessoa, que se acomoda por ter medo do risco. É um personagem diferente de mim, e por isso desafiador, porque, ao contrário dele, sempre fui muito realizador.

Maria - Crescer é duro, mas, ao mesmo tempo, bom. A vida adulta tem suas perdas, e não adianta protelar decisões. O filme traz essa discussão.

Caio - Considero o Zeca uma homenagem a todos os homens que já sofreram muito e que já se sentiram pequenos diante das mulheres.

Vocês costumam ser bastante reservados em relação a vida do casal e nunca haviam trabalhados juntos. Por que aceitaram fazer esse filme?
Maria - Só tínhamos trabalhado juntos no teatro. Mas nunca tínhamos dado entrevista juntos, por exemplo, para preservar nossa privacidade. Mas ficamos enlouquecidos com o roteiro. A intimidade do casal ajuda o filme.
Caio - Sempre evitamos expor nossa intimidade. Evitamos posar para fotos de casal, e trabalhamos em emissoras diferentes, o que é muito saudável. Mas achamos que o roteiro do Paulo merecia esta exposição, da intimidade do casal servindo à narrativa do filme. Nos espelhamos em casais que trabalharam juntos em obras marcantes, como Julia Lemmertz e Alexandre Borges em “Copo de Cólera” . Na verdade, sermos um casal na vida real, torna tudo mais sensível. Paulo sabe dirigir com delicadeza.

As cenas de Julia e Carol juntas foram difíceis de fazer?
Maria - Foi difícil, mas foi legal. É parte do ofício de ser atriz. Jamais imaginei beijar uma mulher, ainda mais em cena, mas a Luz é linda e ficamos amigas durante as filmagens. Conseguimos quebrar o gelo. Na verdade, o mais importante é a questão da fantasia sexual que os homens têm com duas mulheres.

Em 2009, o filme foi bem recebido pelo público e crítica nos festivais nacionais e internacionais de que participou. Vocês tiveram muita expectativa para a estreia?
Caio - Ficamos ansiosos. Queremos fazer um cinema popular, que fale para todos os públicos, e que seja contemporâneo, voltado para as relações humanas.

 

SERVIÇO
O quê: Corujão de abril
Onde e quando: no Centro Cultural Sesi, dia 10 de abril, a partir das 22h30
Ingresso: R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia entrada), R$ 7 (almofada)
Informações: 3235 51 91 e www.centroculturalsesi.com.br /corujão
Endereço: Av. Dr. Antônio Gouveia, 1113 - Pajuçara
Classificação da sessão: 16 anos

PROGRAMAÇÃO:
23h15
Histórias de Amor Duram Apenas 90 Minutos (dir. Paulo Halm, 90min., Brasil, 2010, digital)
SINOPSE:
Zeca, jovem escritor, vive a crise dos 30 anos. Com um livro incompleto e com seu casamento desestabilizado, passa a acreditar que sua esposa o está traindo com outra mulher.

00h45
DJ Coelho e Glauber X

01h30
Soul Kitchen (dir. Fatih Akin, 99 min., Alemanha, 2009, digital)

SINOPSE:

Zinos Kazantsakis (Adam Bousdoukos) é o proprietário do restaurante Soul Kitchen. O negócio não anda bem, pois os clientes não aprovam a comida feita pelo novo cozinheiro. Para piorar a situação, Nadine Krüger (Pheline Roggan), a namorada de Zinos, resolveu se mudar para Xangai. Logo ele resolve partir à sua procura.

03h10
DJ Coelho e Glauber X

04h
O Visitante (dir. Thomas McCarthy, 103min., EUA, 2009, digital)

SINOPSE:

Walter, solitário professor universitário, tem 62 anos e já não encontra prazer na vida. Ao viajar a Nova York para uma conferência, encontra o casal Tarek e Zainab, imigrantes sem documentos, morando em seu apartamento.

05h45
Café da manhã

 

<