Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Um grande balcão reúne as pessoas que chegaram sozinhas, ou em par. Os drinks, coloridos, especiais para a ocasião, são servidos animadamente para clientes risonhos, que combinam a próxima confissão a ser escrita no mural do bar, que lembra um gostoso pub inglês. Mesas são dispostas em todo o estabelecimento, onde grupos maiores se instalaram; chapéus de bobo despontam aqui e ali, acompanhados de uma inusitada bebida em forma de aquário. Lá fora, descansam prédios históricos maltratados pelo calor dos dias e das pessoas, com suas fachadas de lojas que encobrem os detalhes arquitetônicos. As ruas estão vazias, e a vida do interior da festa parece brilhar com mais força diante do contraste. Um blues completa a cena vivida em pleno Centro de Maceió.

Parece mentira. De fato, o clima é esse, mas a história é verdadeira. No próximo primeiro de abril, a partir das 21h, todos esses elementos estarão reunidos no Mandala Café e Restaurante, na festa temática 1° de abril no Mandala: onde todas as mentiras serão perdoadas, um evento diferente que promete deixar histórias para a posteridade.

No dia da mentira, o Mandala comemora a data jocosa através das tradições européias para a ocasião; no velho continente, as brincadeiras e “penalidades” são muito populares e atravessam gerações (atribui-se a origem da comemoração à região). Ao gosto e sugestão da chef do restaurante, a francesa Nathalie Lemoine, a noite brinca inspirada nos costumes de seu país natal. Conta ela que no primeiro de abril, quando alguém é “pego” em uma mentira, acaba por ser chamado de peixe o resto do dia, e ganha um desenho do animal pregado nas costas – e não vale tirar!

A variação alagoana composta pelo restaurante troca o peixe pelo aquário, um drink feito especialmente para a ocasião, e um chapéu de bobo, presenteados para o “mentiroso” corajoso que aceite contar uma façanha no palco, animado pela banda de blues Barba de Gato. Um mural também fica à disposição para receber as confissões de mentiras passadas do público.

Atrações musicais

O grupo de blues Barba de Gato foi formado em 1997 por Fred Hollanda (gaita, sax e voz) e Daniel Gontijo (guitarra e voz). Além da dupla, participam da formação atual Felipe Reis (baixo e vocal) e Thiago Alef (Bateria).

No repertório, clássicos norte-americanos e grandes nomes brasileiros, e até uma releitura da música Légua Tirana, de Luís Gonzaga. Há também composições próprias, que em breve serão lançadas no primeiro CD da banda, Envelhecido em Barril de Carvalho.

Para abrir a noite, Danilo Canuto, integrante do novo grupo Samba na Ladeira, toca rock dos anos 60 e 70, gosto adquirido desde o início de sua formação como músico, quando tocava e cantava na banda Caleidoscópio, de repertório semelhante ao apresentado no próximo primeiro de abril.

Happy Hour com Cazuza

Para quem perdeu o happy hour do fim de semana passado, esta é a última oportunidade para descansar ao som de Cazuza, interpretado pelo cantor e compositor Júlio Uçá, logo depois do trabalho. O Música no Cardápio, que tem início às 17h, é realizado todas as sextas-feiras, e sempre homenageia um bamba brasileiro da música na voz e violão do artista alagoano maturado nas noites de Maceió. No próximo dia nove, será a vez de Chico Buarque.

 

Serviços:

1° de Abril no Mandala:

quando todas as mentiras serão perdoadas
com Barba de Gato, às 21h

R$ 12 (individual) R$ 40 (mesa)

 

Música no Cardápio

Homenagem à Cazuza
com Júlio Uçá, às 17h

R$ 3 (individual) R$ 10 (mesa)

 

Mandala Café e Restaurante

Rua Barão de Maceió, 105 – Centro

Informações e reservas: (82) 3223-7863 / 8859-1175 / 9316-4063 / abia.arte@hotmail.com