A 1ª vitória de Ayrton Senna, na F1 no GP Portugal em Estoril, dia 21/4/85, fez com que por algumas horas os brasileiros se esquecessem da agonia do Presidente eleito Tancredo de Almeida Neves, no Instituto do Coração em São Paulo. Enquanto um herói surgia nas pistas, um herói da política agonizava em praça pública. O estado de saúde de Tancredo se agravava e o desenlace que ninguém queria, acabou ocorrendo as 10h 23 min. daquele 21/4/85. Carlos Nascimento e Carlos Tramontina, se revezavam na porta do Instituto do Coração em São Paulo, a notícia do falecimento foi dada dentro do Fantástico. O repórter Carlos Tramontina acompanhou o pronunciamento do jornalista e porta voz da presidência da república Antônio Britto, que com as seguintes palavras anunciou a notícia que já era esperada, mas que nenhum brasileiro queria ouvir.
"Lamento informar que o Ilmo. Sr. Pres. da República Tancredo de Almeida Neves, faleceu essa noite,no Instituto do Coração às 10h 23min".
Logo em seguida Sérgio Chapelin que estava apresentando o Fantástico entrou ao vivo dos estúdios do Jornal Nacional, para uma edição extradionária do JN.
Com a voz embargada e visivelmente abalado falou sobre a vida política de Tancredo Neves e sobre a tristeza da nação naquele momento.
Reveja mais um momento histórico da história contemporânea do Brasil.  Sem dúvidas é impossível não se emocionar, não se comover com essas imagens.

TIRADENTES

O nome do líder da Inconfidência Mineira era Joaquim José da Silva Xavier. Nasceu na Vila de São Jose Del Rei (atual cidade de Tiradentes, Minas Gerais) em 1746, porém foi criado na cidade de Vila Rica (atual Ouro Preto).

Exerceu diversos trabalhos entre eles minerador e tropeiro. Tiradentes também foi alferes, fazendo parte do regimento militar dos Dragões de Minas Gerais.

Junto com vários integrantes da aristocracia mineira, entre eles poetas e advogados, começa a fazer parte do movimento dos inconfidentes mineiros, cujo objetivo principal era conquistar a Independência do Brasil. Tiradentes era um excelente comunicador e orador. Sua capacidade de organização e liderança fez com que fosse o escolhido para liderar a Inconfidência Mineira. Em 1789, após ser delatado por Joaquim Silvério dos Reis, o movimento foi descoberto e interrompido pelas tropas oficiais. Os inconfidentes foram julgados em 1792. Alguns filhos da aristocracia ganharam penas mais brandas como, por exemplo, o açoite em praça pública ou o degredo.

Tiradentes, com poucas influências econômicas e políticas, foi condenado a forca. Foi executado em 21 de abril de 1792. Partes do seu corpo foram expostas em postes na estrada que ligava o Rio de Janeiro a Minas Gerais. Sua casa foi queimada e seus bens confiscados.

Tiradentes pode ser considerado um herói nacional. Lutou pela independência do Brasil, num período em que nosso país sofria o domínio e a exploração de Portugal. O Brasil não tinha uma constituição, direitos de desenvolver indústrias em seu território e o povo sofria com os altos impostos cobrados pela metrópole. Nas regiões mineradoras, o quinto (imposto pago sobre o ouro) e a derrama causavam revolta na população. O movimento da Inconfidência Mineira, liderado por Tiradentes, pretendia transformar o Brasil numa república independente de Portugal.